A biografia mal escrita de Martin Amis e outros links

11/11/2011

É cruelmente divertida a resenha de Geoff Dyer (no “Financial Times”, acesso livre) sobre a recém-publicada biografia de Martin Amis (foto), escrita por Richard Bradford. Dyer defende a tese de que Amis rompeu com seu biógrafo não por desaprovar as revelações do livro (não há nenhuma, segundo ele), mas por ser alérgico a textos mal escritos. Depois de listar mais um de muitos exemplos de prosa pedregosa, observa:

Seria possível argumentar que isso é só um deslize, um momento infeliz de descuido, e que é injusto, ao resenhar um livro cujo propósito é fornecer fatos, deter-se em defeitos de estilo. Se Bradford estivesse escrevendo a história da vida de um almirante reformado, talvez tal atenuante funcionasse. No entanto, como já apontou seu biografado, o estilo não é algo que se acrescente posteriormente ao texto, como um bonito papel de embrulho. É a própria coisa, o dom em si. E quando as frases começam a escapar do autor, todo o resto vai junto – a impaciência do escritor se transmite ao leitor.

Estamos perto daquela famosa frase provocadora de Vladimir Nabokov, não por acaso um favorito de Amis:

Estilo e Estrutura formam a essência de um livro; idéias grandiosas são besteira.

*

Puxa, dirão alguns, será que Dyer odeia Bradford? Será que Bradford roubou a mulher de Dyer? Será que Dyer e Bradford são ex-sócios numa empresa que faliu? Será que o motorista do pai de Bradford um dia cuspiu no chão quando cruzou com o tio-avô de Dyer em Piccadilly Circus?

Ou será que Dyer apenas acredita que ideias têm vida própria?

É longa a lista de tarefas que o Brasil tem pela frente, como sabe qualquer um que não ignore temas como educação, saúde, habitação, transporte, moralidade pública etc. Aproveito esse pequeno arranca-rabo inglês para acrescentar um tópico de atraso mais relevante do que parece: não adianta ser um Bric e continuar a reduzir todas as discussões sérias – como as literárias, pois não? – à lógica infantilizada do vou/não vou (com os cornos de…).

Escrever cem vezes no quadro: O homem cordial é pior e só faz mal.

*

Capas de livro interativas serão obrigatórias nos ebooks do futuro? Não sei, mas esta belezinha aqui, do romance “Daylight saving”, de Edward Hogan, é bacana demais.

*

Momento egopress: na capa da Ilustrada da “Folha de S.Paulo” de hoje (só para assinantes), estou entre os 11 escritores convidados a escrever microcontos de 11 linhas sobre o 11/11/11; e no novo número do jornal literário curitibano “Cândido” (acesso livre), dou entrevista a Guilherme Sobota sobre literatura, leitura, crítica, internet e… jornalismo esportivo.

3 Comments

  • Felipe Holloway 11/11/2011 at 20:03

    Car#$@&*, que capa f%*#!

    Não dá pro livro físico competir com isso, a menos que venha com uma tira de bacon para ser usada como marca-páginas.

  • Guilherme 16/11/2011 at 10:48

    Sérgio,

    a propósito de sua excelente entrevista para o jornal “Cândido”, e sob risco de ser impertinente, já que não é essa sua função, quero perguntar se não é possível que divulgues mais esse tipo de publicação? Tenho tentado assinar e contato algumas que aparecem na internet, mas eles – revistas e jornais literários – são muito ruins de divulgação, não respondem a e-mail, não retornam ligação. O país lê pouco, mas a distância entre o escritor e o leitor não ajuda em nada, a não ser àqueles que buscam somente uma crítica acadêmica de suas obras. Não há melhor crítico que o leitor comum.

    Abraço,
    Glauder

  • Heliete Vaitsman 25/11/2011 at 18:57

    Ainda atrasada, longe do fetiche da velocidade, só para aplaudir a frase “não adianta ser um Bric etc….”. A infantilização se espalha, é só comparar a forma com que noticiosos de TV brasileiros, ou jornais, se dirigem ao seu público, como se este tivesse 11 anos, e depois ver um noticioso estrangeiro…valter hugo mãe (cito pq. só agora li) recebeu um monte de comentários de estilo epidérmico e engraçadinho e, no entanto, há ali tanta coisa a analisar, inclusive sobre fascismo e política, é um livro também político..

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial