A internet é aliada da inteligência, mas ama a burrice

10/02/2012

Esta semana esbarrei em duas notícias pouco comentadas que, embora inteiramente desvinculadas uma da outra, são bons exemplos das linhas que a cultura digital traça em sua atarefada remarcação do território da inteligência coletiva, cada uma numa extremidade – a da ampliação da inteligência e a da ampliação da burrice. Tendo como único ponto em comum o fato de terem sido garimpados na banda anglófona da rede (onde, como se sabe, desenrola-se a vanguarda da revolução eletrônica), estou falando dos seguintes nacos de informação:

1. Empreendimento conjunto de duas universidades americanas, a Brown University e a University of Tulsa, The Modernist Journals Project disponibiliza gratuitamente na internet, em pdf, versões escaneadas de revistas e jornais de língua inglesa (de diversos países) que tiveram relevância para o modernismo artístico, sobretudo literário, entre os anos de 1890 e 1922. Trata-se de um trabalho em andamento que disponibiliza – e pretende disponibilizar cada vez mais – material raríssimo, até então encontrável somente em grandes bibliotecas e mesmo assim quase nunca em conjunto, a qualquer pessoa que tenha acesso a uma lan house em qualquer ponto do planeta.

2. Em um artigo intitulado 25 razões para o Google odiar o seu blog (em inglês), o site ProBlogger ensina os blogueiros, franco-atiradores da guerra digital, a dar máxima visibilidade aos seus escritos no Google como forma de ampliar o tráfego de visitantes em suas paginetas. Cada tópico ataca um problema: “Você não sabe encontrar as palavras-chave certas”, “Você não usa suas palavras-chave com frequência suficiente”, “Seus títulos nem mencionam sua palavra-chave principal”, “Você nunca usa listas em seus posts”, “Você não escreve sobre tópicos em que as pessoas estão interessadas” – e assim por diante. Nem uma linha sobre escrever bem, ter informações quentes ou opiniões brilhantes, enfim, acrescentar algum ingrediente novo ao cozidão eletrônico. Isso seria romântico demais, além de irrelevante para o propósito de bajular o deus Google. Os conselhos terminam por se resumir a dois: no campo do conteúdo, dar aos leitores o que eles querem e já sabem que querem, ainda que isso seja o mesmo que todo mundo está fazendo (a audiência é gigantesca o bastante para que uma fatia razoável lhe caiba mesmo assim); e, no campo da forma, fazer isso num estilo engessado que abuse de listas e martele as míticas “palavras-chave” o tempo todo.

De um lado, um novo Iluminismo. Do outro, uma nova Idade Média. De um lado, o aceno à velha utopia humanista do acesso universal aos bens culturais. Do outro, uma distopia real movida à introjeção – perfeitamente sensata, o que é pior – dos valores da massificação pelo público, algo que os velhos críticos da TV foram incapazes de prever em seus piores pesadelos.

Qual dos lados vai prevalecer nesse cabo-de-guerra? E quem disse que um deles vai prevalecer?

17 Comments

  • Arthur 10/02/2012 at 14:50

    Percebi isso desde que resolvi escrever num blog sobre literatura. Basta ver alguns dos blogs literários adolescentes que há por aí, com milhões de seguidores e falando nada além do óbvio (isso quando não copiam tão somente os releases das editoras a título de resenha). Mais do mesmo, quase tudo.

    Por isso, cada vez mais me agarro à minha “famosa” lista de blogs favoritados, cujos endereços minhas mãos digitam de modo automático sem que eu sequer perceba: o teu, o da Raquel Cozer, o Meia Palavra, o Casmurros, o Blog da Cia, da Cosac, do IMS, o Publishnews e o Sobrecapas (ufa!). Se não tiver nada novo para ler dessa lista, o melhor é desligar o computador e ir ler um livro.
    Obrigado pela inclusão na lista. Um abraço.

  • Alberto Jefferson Fiorini 10/02/2012 at 15:56

    Se formos em minhas notas, encontraremos pensamentos, criticas e pontos de vista no sentido “relações humanas” em todos os pontos inimagináveis. Minha preocupação à uma qualidade de vida “por excelência” é uma constante e, sinto pena ao ver uma juventude cheia de gaz e ativa mas que seus pensamentos e ideais fogem de uma realidade unica; como estaremos ou como vamos viver em harmonia? não só dentro de nossas casa, escolas, empregos e outros, como tbm, como estaremos e como se encontrara nosso planeta daqui a 50 anos. Muito?….pense quando fez 18, vai parecer que foi ontem. Precisamos com urgência em saber se quem escolhemos governar está fazendo realmente de acordo para que possamos viver melhor e feliz. Não podemos brincar com o tempo, nosso tempo é valioso e devemos fazer com que nosso tempo de passagem aqui nesta vida caminhe sempre para o conjunto de se viver melhor com qualidade de vida, em paz,harmonia e boa vontade, caso contrário, pode não dar mais tempo. (pensemos nisso)

  • Vanessa 10/02/2012 at 16:23

    Idiotização, eu diria.
    http://garotadistraida.wordpress.com

  • sergio 10/02/2012 at 16:23

    Amigos, não é atoa que meu blog desde 2007 teve 5000 acessos. Escrevo poesia de vanguarda, filosófica e erudita. Estamos na verdade fazendo o que Nietzsche já dizia: “A evolução do homem se dá em igual medida para o bem e para o mal”. Desculpe, mas pela razão da solidão e porque sou um auto-apologista de meu blog deixo aqui seu endereço: http://existenznoexistenz.blogspot.com
    Abraços

  • Anderson Theodoro 10/02/2012 at 17:15

    A internet é um espelho da vida. Cada um transmite e procura o que quer.

    Aproveito para divulgar ainda mais meu blog de direito. “Meros” 700 acessos/dia mas pretendo chegar a pelo menos 5mil/dia.
    http://andersontheodoro.blogspot.com

  • Laura Barreto 10/02/2012 at 17:32

    Há um ano criei um blog sem nenhuma pretensão literária, comercial ou muito menos de me tornar famosa…meu único objetivo era escrever coisas do dia-a-dia e ter um diário paramim e para as minhas filhas.Veja bem, “diário”, pessoal, único e escrito , como o próprio nome diz, diariamente. Com uma linguagem simples e bem humorada e sem nenhuma ferramenta google, caí no gosto da pessoas da “rocinha” onde habito e hoje tenho uma média de 1000 acessos únicos diários. Nunca imaginei!
    Se não me engano essa foi a origem dos blogs,ser um espaço para pessoas comuns se expressarem, certo?
    Acho que além de Iluminismos ou feudalismos digitais vivemos também uma era de democracia da comunicação. Massificação? Talvez, mas a escolha ainda é individual.
    Laura
    http://www.ociodooficio.com.br

  • Marcos Aurélio 10/02/2012 at 18:00

    Como a mídia sabe, mas não expõe, eu diria que a nova “IDADE MÉDIA” prevalecerá, pois é disso que os governos gostam, pessoas cada vez menos inteligentes, são incapazes de gerar opiniões contra os governos, então a digamos que o as vezes os nossos “líderes” abram aquele sorriso, e mandem aquele abraço para a educação de verdade, é o que pelo menos é visto no Brasil, em coisas como o Big Brother Brasil, oque eu particularmente considero uma ofensa a racionalidade e a tudo oque os grandes Iluministas lutaram no passado, um verdadeiro retrocesso. Mas a esperança é a última que morre, creio que algum dia possamos ver as pessoas pensando de verdade novamente.

  • Maria Helena e S Torres 10/02/2012 at 18:24

    É uma boa matéria e múito verdadeira!
    Eu aceredito que são uns poucos que realmente estão interessados em tudo que ocorre no mundo. Ainda tem aqueles que não gostam de raciocinar, porque contruir pensamentos é para todos, mas só alguns realmente sabem como o fazer. Fico na dúvida, se é indolência coletiva ou falta de coragem de ir á luta mesmo! Parabens pela matéria!

  • Daniel Porto 10/02/2012 at 19:47

    Olá Sérgio, recentemente criei uma página no Facebook por razões parecidas com certas partes de seu texto. Não sou jornalista, sou apenas um poeta ainda não publicado, um blogueiro que só escreve quando sente que vale a pena, e um estudante de Letras com a matrícula trancada. E pra completar, como vivo de dar aulas particulares me sobre tempo para alimentar utopias de tentar fazer minha parte para mudar o mundo… Mas é difícil…
    O nome da página é O Filtro (http://www.facebook.com/OFiltro), e em cerca de umas duas semanas no ar já consegui + de 100 suados seguidores (Se fosse uma página de humor idiota, eu já teria 1000 com toda divulgação que venho fazendo!).
    Simpatizo bastante com suas palavras, e ficaria honrado se você tivesse um tempo livre para dar uma olhada na página e trocar umas idéias (obs: deslize ortográfico proposital, discordo muito da reforma pornográfica que fizeram, e pra mim idéia sem acento não é boa idéia!)
    Abraços do @Porto_

  • Daniel Porto 10/02/2012 at 19:50

    Mais uma coisa, publiquei na página o seu texto também!

  • rosa 11/02/2012 at 00:34

    Muito interessante tudo que li, e tambem alguns comentarios que me identifico bastante.Que bom que existem pessoas que comunguem com minhas ideias.tenho muitas dificuldades em se tratando de gramatica, etc.Mas de uma coisa nao abro mao- cultura e fundamental.e infelizmente temos encontrado muito pouco, e como disse Daniel porto. quando se tenta compartilhar um pouco de cultura as pessoas nao veem com bons olhos e pouquissimo interesse.Parece que o mais importante e o humor, a mediocridade a vulgaridade.Mas nao perco a esperança,e ao contrario do comentario do Marco aurelio, creio que a esperança nao e a ultima que morre.Ela nao morre,nao pode morrer.Mas se depender de mim, nao desistam, nao desanimem, continuem lutando e farao historia atraves do trabalho de voces.

  • Geraldo Pontes Ferreira Júnior 11/02/2012 at 02:06

    Democratização do conhecimneto. Não existe outra forma para definir o que vem acontecendo em rede. Não teria como saber a opinião de todos vocês publicadas em comentários, blogs ou sites. Veja na Veja, vejo. Impressa ou eletrônica. Conhece a coleção digital, riquissíma em fatos históricos (com ou sem acentos, me desculpem se arcaicos acentos)que Veja disponibiliza democraticamente. Ainda percebo na ferramenta eletrônica uma forma de gritar virtualmente que existimos. Para nós mesmos ou para o mundo.

  • Dalva Bringel 11/02/2012 at 13:43

    Infelizmente alguns leitores aproveitam algumas páginas para descarregar sua infelicidade. E a repostagem em si, é tão somente de como se podem melhorar as postagens, e isso é válido, vai lá e faz aleitura quem quer, quer ser seguidor.Então concluo que quem, é burro, são aqueles que se julgam melhores do queos outros. no Twitter é tanta baboseira que a cara de quem escreve deve seer de acordo com as baboseiras.

  • Franco 14/02/2012 at 22:10

    muito legal essa dos retratos falados!!

    sergio gosto muito do seu blog apesar de não falar de poesia(Todo prosa)mais claro impossível

  • Franco 14/02/2012 at 22:16

    cara quem falou em democratização do conhecimento sempre falam disso estão querendo dizer massificação e agente sabe que isso já é feito, não adianta cultura é elitista e vai continuar sendo. ps Graças a Deus

  • Marcos Aurélio 17/02/2012 at 00:36

    Franco meu amigo, existe uma poderosa fonte de conhecimento no mundo, com ela você pode procurar sobre assuntos interessantes e coisas que realmente valem a pena.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial