Ao internauta pára-quedista que atira antes de perguntar

12/08/2009

Está certo, você veio parar aqui por acidente. Estava atrás de Roberto Bolaños, um artista mexicano plural mais conhecido como Chaves, e ficou furioso ao saber que o tema era um tal de Roberto Bolaño, escritor chileno singular. Acontece – o armazém da internet tem prateleiras infinitas e nem sempre a sinalização ajuda. Conheço um sujeito que andava à procura de artigos sobre Francis Bacon, o filósofo, e vivia caindo em páginas sobre a Perdigão. A diferença é que ele nunca culpou a banha de porco por seus infortúnios.

O assunto aqui é literatura, desculpe. Isso não quer dizer que o blogueiro e seus leitores não tenham outros prazeres na vida. Sei que parece difícil de acreditar, mas a grande maioria de nós trepa, vê séries de TV americanas, ouve música, vai ao cinema e até – sim, eu juro – tem paixão por algum time de futebol. Acontece que, como o fornecimento dessas mercadorias já é farto em outras bibocas da rede, há quem prefira investir neste nicho exótico. Não existem comunidades inteiras dedicadas à podolatria? À volta de D. Sebastião? À arte de cultivar maná-cubiu? Pois então. Esquisitices.

Não fazemos por mal. Ninguém o julgará uma besta apenas por não gostar do ambiente e ir embora. Mas se resolver ficar, dar uma volta, quem sabe aprender uma ou duas coisas inesperadas – de utilidade duvidosa, reconheço, mas nunca se sabe – este decálogo de armadilhas mais comuns pode ser útil:

1. Machado aqui é um escritor antes de ser um instrumento de cortar madeira.

2. Joyce é irlandês e maluco antes de ser carioca e cantora.

3. Calvino é mais italiano e fabuloso do que francês e protestante.

4. Borges é argentino e cego, jamais espanhol e azeite.

5. Alencar, embora José, não ocupa a vice-presidência da República.

6. Rosa pode até nomear uma flor de boniteza, mas é mais provável que designe um buquê de precisão.

7. Romance não é – não necessariamente – uma história água-com-açúcar. Água com cicuta também vale. Na verdade, vale mais.

8. Conto só é de réis quando o editor, coisa rara, paga por ele.

9. Ensaio não é o que os atores fazem antes de estrear a peça.

10. Novela não é o que a Glória Perez comete para viver.

Confuso? Você se acostuma. Ou não. De qualquer modo, o armazém é bem grande. Já deu uma passada na prateleira de maná-cubiu?

88 Comments

  • kylderi 12/08/2009 at 15:39

    Que tapa, hein!?

  • Tibor Moricz 12/08/2009 at 16:58

    Podia figurar no sobrescritos, tranquilamente.

  • Harpia 12/08/2009 at 16:59

    6. Rosa pode até nomear uma flor de boniteza, mas é mais provável que designe um buquê de precisão.

    é por essas e por outras que, faça chuva ou faça sol, bato ponto por aqui todos os dias …

    (mas, cá entre nós: este não foi exatamente um “sejam bem vindos”)

  • Drex Alvarez 12/08/2009 at 17:22

    Agora é só colocar esse post como página de alerta sempre que seus textos ganharem chamadas na capa do IG.

    Algum estagiário do site deve ser capaz disso :-)

  • John Coltrane 12/08/2009 at 17:22

    Ahaha, muito bom!

  • Tomás 12/08/2009 at 18:25

    Hã?

  • Ana Cristina Melo 12/08/2009 at 18:34

    Foi lamentável ler todos aqueles insultos.

    Só estranhei sua resposta só vir agora. Perdi alguma coisa no caminho. :)

  • Rodrigo 12/08/2009 at 18:34

    Ótimo!!
    Mas vale pensar o quanto nós, que visitamos esse site regularmente, já cometemos o mesmos pecado dos que aqui vem por acidente. O de não conseguir compreender o gosto alheio.

  • adriana tavares 12/08/2009 at 19:26

    adorei!

  • adriana tavares 12/08/2009 at 19:27

    excelente!

  • Eliane 12/08/2009 at 19:32

    Sou uma internauta que está caindo de guarda-chuvas…não há o que pare minha sensação de cair nas frases dos blogs!
    Meu anti-depressivo terá que ser aumentado na dose…

  • Reinaldo Pedroso 12/08/2009 at 19:33

    “O assunto aqui é literatura, desculpe…”

    A grafia correta é paraquedista, desculpe.
    Reinaldo

  • Mariana 12/08/2009 at 19:39

    Sei pouca coisa sobre ‘os insultos’… Sua raiva é sempre assim, Sérgio?
    Está valendo.

  • Fabio Negro 12/08/2009 at 19:41

    outro dia consegui manter uma conversa por quase 10 minutos sobre o DVD de A Bela e a Fera antes de perceber que o cara tava falando do filmes do Jean Cocteau e eu do desenho da Disney =)

    essas confusões acabam sendo divertidas, co ose u post, Sérgio
    (caraças, há quanto tempo eu não passava pelo blog!)

    http://twitter.com/Fabio_Negro

  • Hefestus 12/08/2009 at 19:43

    “A grafia correta é paraquedista, desculpe.
    Reinaldo”

    O acordo já está em vigor, mas as normas ortográficas anteriores ainda valem, e o uso das novas regras só será obrigatório a partir de 2013. Portanto, seu uso do termo “correto” está incorreto.
    Não peço desculpas porque não me desculpo com corneteiro.

  • Fernando 12/08/2009 at 20:21

    Passei 44 anos sem saber o que é um maná-cubiu e agora que descobri o que é, percebo que podia muito bem continuar não sabendo pelos próximos 44.

  • Sérgio Rodrigues 12/08/2009 at 20:25

    Reinaldo Pedroso: como o Hefestus já corrigiu sua “correção”, acrescento apenas que o Todoprosa, da forma mais orgulhosa e explícita possível, não adota (enquanto não for obrigado) a nova ortografia. Em compensação, a “velha” é tratada com muito respeito aqui. A imprensa brasileira se precipitou nesse negócio, ao contrário da portuguesa, o que acaba levando a comentários equivocados como o seu.

  • Fernando Torres 12/08/2009 at 20:35

    Sérgio: Divertidíssimo. Mais um texto que gostaria que fosse meu. Mas não é.

    Hefestus: De acordo!

  • Katarina 12/08/2009 at 20:48

    Que beleza. Quanta fineza (trepa, do verbo trepar? Em árvore?)… É a primeira vez que eu entro aqui. É também a última. Boa sorte.

  • Alexandre 12/08/2009 at 20:52

    A novela que Gloria Perez cometeu…Que ótimo isso!!!

  • Rafael 12/08/2009 at 21:15

    Diverti-me a valer, com fartas gargalhadas, ao ler o texto.

    Pena que os destinatários, os pára-quedistas (com hífen e acento; viva a grafia antiga!), não entenderão nadica de nada.

    A sutileza, e olha que o seu texto, Sérgio, nem é tão sutil assim, a sutileza, como ia dizendo, é demais fluída para mentes tão grosseiras.

  • Fábio 12/08/2009 at 21:18

    Nossa! Hilário, acho que nunca encontrei um texto que descrevesse tão bem a sensação de que a liberdade de expressão é para todos! Cada um escreve sobre o que gosta, e o que bem entender… Ótimo! Virou favorito este blog! Parabéns!

  • Saint-Clair Stockler 12/08/2009 at 21:20

    Parabéns! O melhor texto que já li nesse site, cheio de excelentes textos. Antológico!

  • Daniel Brazil 12/08/2009 at 22:28

    Bravo!

  • zé da silva 12/08/2009 at 23:21

    chamou aê, cara? num vô não.

  • Mr. WRITER 12/08/2009 at 23:27

    Como disse em outro post, saudades do tempo em que o Todoprosa era do Nomínimo…

    Mas que tem um monte de imbecis vindos da porta do IG não há dúvidas…

  • Mr. WRITER 12/08/2009 at 23:32

    Isso tudo é culpa dos babacas atraidos para cá pelo Ig…

    Nessas horas que eu insisto na campanha “Exlusão Digital Já”.

    Ou naquela outra “Apreda onde é o seu lugar”.

  • Mr. WRITER 12/08/2009 at 23:37

    COmo o Rafael disse mais acima, é uma pena que os donos do endereço desse chute não vaõ nem se tocar que é para eles…

    Talvez alguns que nem a Katarina mais lá acima…

    Maldito senso comum que quer fazer de tudo um refúgio seu.

  • Rafael 12/08/2009 at 23:40

    Sérgio, se me permite um aparte:

    Por que o orgulho em não seguir a novas regras ortográficas? Você não era, salvo engano, um entusiasta desse crime de lesa-língua? O atroz corroterista fez você mudar de idéia?

  • Elton 12/08/2009 at 23:46

    Acompanho o blog via rss, portanto nunca tinha lido os comentários. Fiquei curioso e vim ler alguns. Coisa mais esquisita. Há pessoas (e muitas!) que vêm aqui, não entendem nada e mesmo assim não gostam mas, antes de irem pra nunca mais voltarem, fazem questão de deixar a marca da patinha no cimento fresco? Será que além de bater na mulher e chutar o cachorro o brasileiro agora descobriu que azucrinar blogs pode também aliviar a tensão provocada pela frustração reiterada? Caramba, que trise…

    Um abraço e siga adiante, Sérgio. O blog é genial.

  • cely 13/08/2009 at 00:03

    Joyce,ah o Joyce.”Os vivos e os mortos”, lindo!
    Tem gente que não entende (nem escreve) na ortografia antiga e quer dar uma de bom na ‘nova”! ,Não sei não Sérgio,mas acho que precisa de um blog para traduzir o seu blog para os pára-quedistas.

  • ANTONIO 13/08/2009 at 00:39

    de fato é um habito dos menos avisados, pensam que sabem
    é um PERIGO, E ACONTECE EM MUITOS LUGARES, FOI BOM
    COMENTAR,É UMA OPORTUNIDADE DE REVER OS ATOS

  • Osório 13/08/2009 at 04:03

    Sérgio.

    Perdi algo? Não sei se esse teu texto era realmente necessário, achei-o um pouco arrogante, como acho muitos comentários bastante pedantes. Poderia incluir nos objetivos do blog a conquista (para o mundo) de novos leitores, mas com o post de hoje, acrescido de alguns comentários onde fica clara a idéa de serem superiores por terem acesso a boa leitura, só faz afastar as pessoas mais simples. E a gente tem sempre algo a aprender com os outros, por mais simples que sejam, então…

  • Carlos Alberto da Silva Dias 13/08/2009 at 07:16

    Eu costumo dizer o seguinte:
    Idiota é idiota e sempre será idiota.
    Agora, quando um idiota consegue estudar, aí, gente, fica impossível de conviver, ele continua idiota, agora, com estudo e vira um idiota imbecil, no mundo esta cheio disto, por isto, estamos vivendo com poluição de tudo que é jeito, pedofilia, sequestros, atos secretos, Lula com Collor e Sarney e passando a mão na bunda do Calheiros etc etc.
    Não entendi porra nenhuma.

  • Renato Batisteli 13/08/2009 at 07:17

    Prezado Sergio,
    É a primeira vez que aqui venho – e já o coloquei nos favoritos – confesso que não me interessei pelo chaves, quando vi a imagem de chamada para a matéria não me apeteceu. Não li o que aqui se passou mas pelo tiom do seu post imagino e por isso repito uma frase que costumo utilizar quando me deparo com certos tipos que andam a comentar nos blogs: Triste Brasil!.
    Voltarei mais vezes. Esta prateleira parece ser um oasis em em meio a indigência que assola o BR.

  • Roberto Prado 13/08/2009 at 08:13

    Cara eu te leio desde o tempo do finado NoMínimo, mas hoje você se superou!

  • Aline 13/08/2009 at 08:49

    Argh, que cheiro de mofo.

  • Para-esquerdista 13/08/2009 at 08:52

    Só essa chamada é uma tentação para nós, para-quedistas, se queria aumentar a audiência, conseguiu. Pelo menos foi criativo e elegante, além de educativo.

  • alexandre costa 13/08/2009 at 09:08

    Cara, nós somos de outro planeta, com tempo pode ser que essas pessoas que nunca leram nem se quer um recado na porta da geladeira nos aceite em sua cultura.
    Abraços

  • Para-esquerdista 13/08/2009 at 09:31

    Vou comentar todas as suas matérias daqui pra frente. Acho que no fundo é isso que vc quer, né?

  • Tibor Moricz 13/08/2009 at 10:03

    Será que esta postagem vai servir de funil? Duvido… Vou continuar me divertindo com comentários nonsense que “pára-quedam” por aqui…rsrs

  • josé rubens 13/08/2009 at 10:06

    Valeu, Sérgio!

  • Lion 13/08/2009 at 10:13

    Muito bom. Excelente a chamada.

    Agora estes comentários de pseudo-intelectuais mancha um pouco o blog.

    Explico! Existem pessoas preconceituosas que acham que são superiores por terem maior acesso a cultura. Não pode. Inteligência não é sinônimo de sabedoria. A sabedoria tem um sentido mais amplo. A inteligência deve ser trabalhada para aquisição da sabedoria.

    O senhor entitulado Mr. Writer sugere exclusão e tece ilações do tipo … “aprenda onde é o seu lugar”.

    Uma pena um senhor que se julga o intelectual ser tão ignorante.
    Ah … não conhecia o blog e achei sensacional, vim através do portal IG. E daí Senhor Writer?

    Está adicionado nos favoritos. Um grande abraço.

  • Mr. WRITER 13/08/2009 at 10:16

    O problema não é aprender com os outros… o problema é que esses “outros” chegam no blog cu=hutando o pau da barraca, esculhambando o post, o autor, o tema… enfim, tudo.

    O que há pra se aprender com um cara que nem sabe do que se trata o tema e já saiu avacalhando, fazendo piada idiota e ofendendo? Se há alguma coisa a aprender com esse tipo de gente é só ser muito mal educado…

    Como disse, malditos leitores do ig…

  • Mr. WRITER 13/08/2009 at 10:20

    As pessoas definitivamente não sabem fazer crítcas além das destrutivas… e também não sabem onde é o seu lugar.

  • Lion 13/08/2009 at 10:25

    Sr. Writer. Existem pessoas e pessoas.

    Que preconceito aos leitores do IG.
    O autor, o tema e o post não foi esculhambado, ao menos por mim.
    Não generalize. Já pensou se quem ler os seus comentários achar que todos os leitores são babacas?

  • Mr. WRITER 13/08/2009 at 10:27

    Lion,
    aí é que está o ponto… não me julgo intelectual coisa nenhuma.
    Quem, assim como eu, frequenta o espaço há algum tempo sabe que de intelectual não tenho nada.

    Venho aqui só e somente só pela paixão pelos livros, pelas dicas do Sérgio e de outros leitores, estes sim, mais entendidos de literatura e suas entranhas.
    Tanto que nunca me aprofundo em postagem nenhuma e até nem gosto muito de certas duiscussões sobre literatura porque gosto mesmo só de ler e me divertir fazendo isso.

    Agora é dose ver gente chegar aqui no blog e só bostejar baboseiras, ofender o dono da casa de forma gratuíta, chamar de inútil coisas que não entende.

    Do meu ponto de vista a ignorância, assim como a burrice, não são bençãos.
    E sim, tem gente no espaço virtual que deveria saber o seu lugar. Eu particularmente não vou a lugares reais e virtuais dos quais não gosto. Nem por isso entro lá e digo que são um lixo, por mais que assim o sejam.

    Agora você pode me chamar de feio, de bobão e de cara de bolo… porque pseudo-intelectual não colou.

    Assim o pessoa para de andar com você na hora do recreio, Sr. dos Thundercats…

  • Lion 13/08/2009 at 10:40

    Lion é meu nome. O do senhor é Writer? Sai do armário kkkkk
    Deixa pra lá. Essa discussão não vai levar a nada. O senhor vai continuar preconceituoso e se dirigindo às pessoas de maneira pejorativa.

    Não precisa ofender ninguém, o blog deve ter livre acesso até para os retardados e nem por isso devemos execrar aqueles que nada entendem.

    Lion é do desenho eo Sr. Writer é um programa freeware e gratuito que faz parte do BrOffice.Org. e possibilita a criação e edição de texto. kkkk muito engraçadinho.

  • Mr. WRITER 13/08/2009 at 10:45

    Não, é a música da banda inglesa Stereophonicas…
    Xeque-mate…

  • Mr. WRITER 13/08/2009 at 10:45

    Não, é a música da banda inglesa Stereophonics…
    Xeque-mate…

  • Mr. WRITER 13/08/2009 at 10:47

    Para não alongar mais do que o já desnecessário, não insista em transformar o mei PRÉconceito em um conceito.

    Abraços.

  • Claudio Abramo 13/08/2009 at 11:07

    Bem posto. Sugiro fazer como eu faço: comentários de visitantes incivilizados são meramente extirpados. Depois de algum tempo, eles não voltam mais, para benefício geral.

  • rosemiriam 13/08/2009 at 11:21

    O Reinaldo não te informaram que podemos escrever na grafia antiga até 1912 – antes de corrigir os outros preste atenção nas bobabgens que você escreve – vai procurar o blog do CHAVES.

  • katia karst 13/08/2009 at 11:22

    ACHEI ÓTIMO!!!!! NÚMERO 7……….

  • Rafael 13/08/2009 at 11:29

    Não entendo! Qual o problema em ser preconceituoso? Só os tolos (disse, se não me engano, Oscar Wilde) não julgam pelas aparências. O preconceito é necessário como o ar que se respira; o preconceito é saudável, bonito; se usado com sabedoria, é ferramenta mais útil que existe para se viver com dignidade.

    Viva o preconceito!

  • Mr. WRITER 13/08/2009 at 11:32

    Já que o Rafael, sempre ele, afiadíssimo, tocou no assunto, é bom lembrar que, via de regra, programas com o título de FREEWARE são de graça.

    Ou seja, não precisa dizer freeware e gratuíto, se é gratuíto é porque é freeware, se é freeware é gratuíto.
    E para facilitar a busca, é a terceira faixa do álbum “Just Enough Education to Perform”.

    Busca lá no google.

  • Hefestus 13/08/2009 at 12:27

    Comentário preconceituoso mas necessário:

    “Maldita inclusão digital”

  • Eric Novello 13/08/2009 at 13:42

    Deus do céu. Escritores trepam? Nunca mais volto nesse blog!
    Abss! =p

  • Antônio Torres 13/08/2009 at 14:05

    Biscoito fino, SérgioR. Só uma coisinha: Calvino, o primeiro (quer dizer, “o calvinista”, era francês ou suíço?

    Antônio

  • Isabel Pinheiro 13/08/2009 at 14:09

    Não é à toa que o Sérgio é meu ídolo.

  • Daniel 13/08/2009 at 14:15

    Inclusão digital? Isso parece exame próstata.

    Sérgio, “a grande maioria” não é um exagero? Não existe uma pequena maioria, existe?

    No mais excelente texto, adorei!

  • Sérgio Rodrigues 13/08/2009 at 14:39

    Antônio: Calvino vivia em Genebra quando morreu, mas nasceu em Noyon, no norte da França. É um prazer vê-lo por aqui.

    Daniel: obrigado, mas não vejo problema em “grande maioria”, se considerarmos que uma maioria de 51%, por exemplo, tem margem pequena ou estreita.

    Abraços a todos.

  • Juliano 13/08/2009 at 15:30

    Muitíssimo engraçado. Ri muito. Valeu Sérgio!!!

  • Juliano 13/08/2009 at 15:36

    Putz, o MR. Writer me fez ficar sério, eu que tava com a gargalhada nos
    lábios até agora. Porra meu, isso não, né? Que negócio é esse de “seu
    lugar”? Luta de classes das mais rasteiras agora? Quer dizer que o seu
    lugar é o lugar dos cultos, ilustrados, e o lugar de quem cai por aqui é
    o lugar da ralé? Fez perder a graça do negócio. Putz.

  • Mr. WRITER 13/08/2009 at 15:54

    Ah não, de novo esse papo de culto, intelectual… arruma outra vai velho.

  • Juliano 13/08/2009 at 16:01

    Papo chato, né, MR. Writer? Chato e repetitivo, tanto quanto suas
    idéias, não fossem elas também, além de repetitivas (lamentavelmente
    repetitivas), arcaicas e bem reveladoras. Mas, como disse outro
    comentarista, esse papo acho que não nos levará muito longe, então, o
    melhor é continuar rindo com o post, que foi uma piada em bom estilo,
    não como seu comentário tacanho e tragicamente… Típico.

  • Mr. WRITER 13/08/2009 at 16:08

    Agora é bom todo mundo adotar as tags explicativas de seus comentários que contiverem ironia, sarcasmo ou doses de humor negro: Exemplo:

    [ironia] seu coemtário irônico aqui [/ironia]
    [sarcasmo] seu comentário sarcastico aqui [/sarcasmo]

    E assim por diante… ou você pode optar pelo tradutor automático de coemtários para aqueles que não entendem o que você quer dizer…
    Legendas também podem servir.

  • Mr. WRITER 13/08/2009 at 16:14

    Maldito senso comum, maldito politicamente correto…

  • Juliano 13/08/2009 at 16:25

    Writer, ou é senso comum ou é politicamente correto. Ambos juntos é uma
    contradição em termos, não acha? E existe coisa mais senso comum, num
    país historicamente pautado pela hierarquia, do que dizer “ponha-se no
    seu lugar”? Mas ao contrário do que você possa pensar eu não sou o
    ortodoxo do politicamente correto não, tanto é que ri muito do post. Só
    que ainda me chocam algumas coisas ditas assim, como se fossem
    brincadeirinhas, ainda mais sem o menor refinamento (pelo menos quando
    tem refinamento a gente pode dizer: putz, o cara é um idiota, mas é
    genial). Ressalte-se que o caso do Sérgio é mais próximo da genialidade,
    claro.

  • Mr. WRITER 13/08/2009 at 16:31

    Juliano, é triste constatar, a cada dia passado, que uns 95% dos internautas é completamente incapaz de entender uma ironia… mesmo que nela esteja escrito com letras garrafais bem grandes assim ó: IRONIA.

    Não percamos tempo mútuo com isso tudo, definitivamente não estamos falando do mesmo modo e da mesma coisa.
    E esse papo de cometários reveladores, agora você me desculpe, é imbecilidade pura.
    Você acha que meia dúzia de comentários meus em uns dois ou três blogs me revela? Francamente.

    E desculpe aí qualquer coisa.

  • Saint-Clair Stockler 13/08/2009 at 16:34

    Orgulho, preconceito e zumbis

    Olhaí Sérgio, uma pauta pra você:

    http://oglobo.globo.com/cultura/mat/2009/08/12/orgulho-preconceito-zumbis-editora-lanca-livros-que-misturam-romances-de-jane-austen-com-monstros-sangue-757367735.asp

    Quando eu acho que já chegamos ao fundo do poço do mau gosto literário me aparece um troço desses pra provar que o fundo é bem mais fundo… ¬¬

  • Juliano 13/08/2009 at 16:42

    Tranqüilo Writer, relaxemos. Abraço e desculpe qualquer coisa também.

  • Rafael 13/08/2009 at 17:08

    Ah, bons tempos aqueles em que Hiago & Cia. elevavam a alturas celestiais o nível intelectual da discussão.

    A propósito: como faço para acionar as tags explicativas de ironia e de sarcasmo…

  • Tulio Augustus - Gyn/GO 13/08/2009 at 17:34

    Excelente, Sergio! Essa sua patreleira está muito bem fornida!!

  • Alexandre Caliman 13/08/2009 at 17:47

    Gente. Precisamos tratar bem os ignóbeis para que, um dia, eles melhorem. A culpa é deles, sim, mas não 100%. Alguém, um dia, disse a eles, e aprovou o fato de que, ser assim é mais fácil! Vamos ajudá-los. Ou não…

  • isaac 13/08/2009 at 18:16

    gostei.

  • fat james 14/08/2009 at 09:12

    Texto hilário e muito oportuno.

  • Bia 14/08/2009 at 11:25

    Ainda bem que caí de pára-quedas aqui. Adorei o texto, Sérgio. (preciso agradecer ao Zander por compartilhar!)
    [ ]’s
    Bia

  • Rodrigo 14/08/2009 at 11:28

    O texto não merecia o comentário de Mr Writer e de mais alguns insatisfeitos com os visitantes menos “ilustres”.

    Eu quando li “nicho exótico”, não achei que Sérgio estava ironizando para ressaltar o caráter “saibam o seu lugar” da literatura.

    Quem não percebe que a literatura tornou-se algo de muito extemporâneo que se continue jactando de ser um iniciado.

    O texto é cordial com os iniciantes e severo com os visitantes mal-educados.

    Quem sabe não vem aí um texto para os habitués narcisico-verborrágicos?

  • Mr. WRITER 14/08/2009 at 11:52

    O primeiro problema em ser ironico é que, quando as pessoas não te entendem, você é que passa por idiota.
    O segundo problema em ser ironico é que, quando você fala sério, todo mundo duvida…

    E o terceiro, deixa pra lá… desisto.

  • Max 14/08/2009 at 16:52

    Ótimo. O Cony fez um comentário parecido uma vez, acho que para uma Ronaldinha, que, na sua beleza escultural, saiu-se com um “Acho que vou parar com o livro do Jô, que achei que fosse de humor. Agora vou ler a Divina Comédia. Adoro mesmo humor!” – ao que o Cony retrucou: é bom alguém avisar pra essa mocinha que O Vermelho e o Negro NÃO trata da história do Flamengo…

  • gilvas 14/08/2009 at 21:09

    esclarecimento mais do que bem-vindo!

  • Paulo Saboia 16/08/2009 at 00:04

    Calvino, o Ìtalo, de quem penso se tratar, ao que eu saiba, nasceu em Cuba. Ou é um terceiro Calvino, alem do francês?

  • Sérgio Rodrigues 16/08/2009 at 00:47

    Sabóia: é esse Calvino mesmo, nascido em Cuba por acaso e não menos italiano por causa disso.

  • Hefestus 16/08/2009 at 15:17

    ” é bom alguém avisar pra essa mocinha que O Vermelho e o Negro NÃO trata da história do Flamengo…”

    Agora nem essa tirada funciona mais, uma vez que O Vermelho e o Negro é também o nome do livro do Ruy Castro que trata, sim, da história do Flamengo.

  • Alexandre. 16/08/2009 at 18:32

    Eu estava ( comentei ) na famosa ( e hilária ) batalha Bolaños x Bolaño, portanto, sou testemunha ocular da história! Sérgio, sou leitor dos mais discretos e, de coração, grande admirador do seu trabalho, mas lendo outros blogs, percebo que grosseiria não é exclusividade do todoprosa; Vc se saiu muito bem, levando para o humor. Já vi blogueiros, digamos, de porte, descerem ao nível de certos comentários absurdos. Permita-me, por gentileza, um recado aos pára-quedistas: Se vc não gostou do que leu, tire as mãos do teclado, respire fundo e reflita se vale mesmo a pena xingar alguém que, eventualmente, pode te ajudar em alguma coisa. Se mesmo assim, vc não se conter, ao menos, não leve tudo tão a sério. Já perdi a conta das vezes que discordei do Sérgio e fiquei na minha, o mesmo vale para turma dos comentários. Nunca me arrependi. Vocês são grandes amigos que não conheço, gosto de pensar assim. Ah, saudades do Hiago. O danadinho faz falta!
    Um abraço a todos.
    Cordialmente: Alexandre.

  • Ju 17/08/2009 at 19:42

    Achei o texto excelente!
    O chocante são os comentários. Principalmente os que tentam revisar o texto. Sempre tem quem só consiga se apegar aos hífens e possíveis redundâncias, e não ao que mais importa: boa forma e bom conteúdo.

  • _Maga 07/09/2009 at 21:25

    Sérgio, um ótimo texto.

    O que me incomoda não é dar em um site qualquer com um assunto completamente diferente do que quero quando faço uma pesquisa. Porque eu sei qual é o mecanismo dos sites de busca, e sei que a pergunta “estou com sorte?” não está lá atoa…

    O que me incomoda não é como usuária, é como bogueira. Acontece que há uns dois anos publiquei um texticulo com o titulo de Homo Sapiens Sapiens e estou post virou point de estudantes desesperados para fazer um trabalho de escola. O que acontece é que eles não percebem que estão no lugar errada, dão meia volta e vão tentar a sorte em outro lugar. Não. O que acontece é que eles saem xingando, ou dizendo que eu não entendo nada de ciência, essas coisas todas. Poucos perceberam que (1) aquilo é um blog, provavelmente não é o melhor lugar para se achar conteudo para um trabalho de escola – apesar de ser uma possibilidade; (2) que aquilo é um blog “pessoal” com texto “pseudo-poéticos”, não um blog de ciência.

    Acho que só tem uma explicação para isso: analfabetismo funcional.

    Desculpe o desabafo. Realmente me entristeço ao ver os nossos jovens sem parametros minimos, nem para usar as ferramentas fantásticas que são os buscadores.

    Um grande abraço

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial