Começos (ainda) inesquecíveis: Michel Laub

26/07/2009

Publicado em 28/8/2007:

Hoje o futebol está morto, e duvido que alguém ainda chore por ele, mas não era assim no dia 12 de fevereiro de 1989.

“O segundo tempo”, de Michel Laub (Companhia das Letras, 2006), um dos bons livros brasileiros do [então] ano passado, tem uma frase inicial ainda melhor. Digna de antologia ou manual para escritores, ela consegue condensar em pouquíssimas palavras, com a falsa simplicidade que a ocasião exige, uma apresentação clássica de tom, tema e marcos temporais (de passado e presente) entre os quais se estenderá a corda da narrativa. Não falta ainda uma sutil estranheza – como assim, o futebol está morto? – que fica zumbindo ao fundo enquanto nos damos conta de que o defunto pode ser outro.

One Comment

  • Saint-Clair Stockler 30/07/2009 at 00:45

    Não li nada desse menino, ainda. Alguém precisa me emprestar um livro dele. Ou então vou esperar aparecer no Portal Detonando. Foi assim que li o primeiro livro da Carola Saavedra, Toda Terça. Não sei o que seria de mim sem o Portal Detonando, juro pela Santíssima Trindade!

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial