Começos inesquecíveis: Roberto Bolaño

01/02/2009

2 de novembro

Fui cordialmente convidado a fazer parte do realismo visceral. Claro que aceitei. Não houve cerimônia de iniciação. Melhor assim.

3 de novembro

Não sei muito bem em que consiste o realismo visceral. Tenho dezessete anos, meu nome é Juan García Madero, estou no primeiro semestre de Direito. Não queria estudar Direito, e sim Letras, mas meu tio insistiu e acabei cedendo. Sou órfão. Serei advogado. Foi o que disse ao meu tio e à minha tia, depois me tranquei no quarto e chorei a noite inteira.

Assim, com uma piadinha simples (“claro que aceitei”, “não sei em que consiste”) e no embalo aparentemente despretensioso do diário juvenil de Madero, aspirante a poeta, o leitor é suavemente puxado pela mão para dentro do monumental turbilhão de vozes e tramas que torna o romance “Os detetives selvagens” (Companhia das Letras, 2006, tradução de Eduardo Brandão), do chileno Roberto Bolaño, uma das obras fundamentais da literatura contemporânea.

55 Comments

  • Gil Brother 01/02/2009 at 15:57

    pensei que fosse o Chaves :O

  • Fabiano 01/02/2009 at 16:19

    Ele é a Chave.

  • Bruno M. Oliveira 01/02/2009 at 16:33

    Quero muito ler, mas cadê dinheiro? Se alguém aí quiser me vender um exemplar por um preço especial, por favor, entre em contato.

  • Lopes 01/02/2009 at 18:25

    Pensei que fosse o chaves. Mas também pudera, só plantando uma notícia que desse margem a dupla interpretação para eu entrar nesse blargh, desse pseudo intelectual metido a escritor.

  • Fagunner 01/02/2009 at 19:13

    também pensei que era o Chaves

  • eU 01/02/2009 at 19:21

    Deviam proibir estas chamadas e propagandas que só nos enganam e fazem perdem tempo. EU ABOMINO ISTO.

  • vanderlei 01/02/2009 at 19:43

    Kd o Kiko? na boa; assim como os demais pensei que era a respeito da turma do chaves.

  • Alexandra 01/02/2009 at 19:53

    O livro é todo maravilhoso. Conheci Bolaño através de “A pista de gelo”, e senti a mesma coisa que senti ao ler “Retrato do artista quando jovem”: encantamento e a certeza de estar diante de alguma coisa original.

  • Sérgio Rodrigues 01/02/2009 at 19:59

    Caramba, essa valeu o domingo! Nem o Bolaño seria capaz de bolar isso: neguinho confunde o baita escritor chileno com Roberto Bolaños (com s), o comediante mexicano que interpreta o Chaves – até aí, paciência, os nomes são parecidos mesmo. O toque de gênio é ficar revoltado ao descobrir que se enganou e ainda botar a culpa no portal!

  • luca 01/02/2009 at 20:29

    ué…não é o chaves?

  • luca 01/02/2009 at 20:31

    Grande escrito chileno uma ova…esse otário aí não chega nem aos pés do Chaves!

  • Gabe Pardal 01/02/2009 at 21:38

    Lendo esse post agora quase chorei.

  • Marcelo 01/02/2009 at 22:05

    Tb pensei que era o Chaves…kkkk

  • Guilherme Montana 01/02/2009 at 22:21

    É um senhor livro.

  • Lili 01/02/2009 at 22:49

    Ahhh… Eu quero o Chaves!!!

  • A Verdade 02/02/2009 at 00:20

    Também pensei que o Chaves. Parece que tá muita comum agora essas chamadas( ambíguas) na NET.

  • Daniel Brazil 02/02/2009 at 00:20

    A inteligência humana tem limites. Já a ignorância…

  • Euclides Roberto Novaes de Sous 02/02/2009 at 00:42

    Cretinice nº 1: acessar um blog chamado “todoprosa”, que diz respeito a literatura e achar que diz respeito ao Chaves.
    Cretinice nº 2: habituar-se a nomes conhecidos e exigir sempre a sua presença.
    Cretinice nº 3: menosprezar o assunto com total desconhecimento dele.

  • Mariana Sanchez 02/02/2009 at 00:45

    Ao contrário do “realismo visceral” do Bolaño, as mensagens acima são exemplares autênticos do “surrealismo”.
    Santo deus, vão assistir ao Chaves dublado no éssebetê.

  • Carol 02/02/2009 at 00:53

    Pelo que entendi, é um livro que o Chaves (Roberto Bolaños) escreveu, num é? Ah, sei lá que porra é essa… rsrs… O chaves é chileno ou colombiano??? Colombiano num é??? Vixi.. falei merda, deixa pra lá!!!! Boa Noite!!!

  • Edson 02/02/2009 at 01:27

    Nossa fui seco pensando que era o chaves

  • Ceará 02/02/2009 at 01:53

    e o Kiko??

  • emerson ronaldo 02/02/2009 at 01:56

    nem tanto ao céu nem tanto à terra…a galera q pensou q era o chaves nao precisa esculachar o escritor e os “intelectuais” que nao admitem que nao se saiba de quem se trata,deveriam lembrar que vivemos num pais onde se da muito pouco valor a leitura e muitas pessoas nao conhecem nem os escritores brasileiros…

  • Zimmermann 02/02/2009 at 02:27

    Hehehe. Sabia que isso ia acontecer.

    No mais, não há previsão de lançamento do ‘2666’ por aqui?

    P.S. Ramón Valdés infinitamente maior que Roberto Bolaños.

  • martins 02/02/2009 at 03:09

    TINHA QUE SER O CHAVES MESMO! TOME!!!!!!

  • Camila 02/02/2009 at 07:49

    hahahah
    tb pensei q fosse o Chaves..
    Mas, fala sério, esse cara nao chega aos pés do grande Roberto Bolaños..
    Um cara que criou um programa que faz sucesso até hoje!
    Simplesmente imortal.. Isso sim é cultura!
    Essas coisas de intelectualismo nao enche a pança de ninguem..

  • Daniel 02/02/2009 at 08:41

    Camila, gente como você é que leva a humanidade adiante…

  • reuber 02/02/2009 at 08:53

    CHAVES??? BRINKSSSSS!!!

  • Jonas 02/02/2009 at 09:05

    Além de carolas, os leitores do iG são ignorantes, pelo visto.

  • Carol 02/02/2009 at 09:28

    Tá bom Jonas, já que vc está bem informado, então nos explique. Eu pelo menos estou super curiosa!!!

  • Leonardo 02/02/2009 at 09:50

    Extraaaaa! Extraaaa! 30 pessoas enganadas!!! Extraaaaa, extraaaaaaa!!

  • Eric Novello 02/02/2009 at 11:40

    Ai, cara. Maldita inclusão digital.
    Às vezes acho que não tem mais jeito essa situação.
    Às vezes tenho certeza.
    É o que dá colocar computador de pai e televisão de mãe da criançada.
    É, Mr. Sérgio. Seu site é um mix de cultura com choque de realidade. Abss.

  • Andre Araujo 02/02/2009 at 11:51

    Estranho… quando comprei “Putas Assassinas”, que ainda estou lendo e a chando muito bom, pensei já ter ouvido esse nome… o engraçado é que achei que tinha visto na Veja, ou algo do tipo. O Engraçado é que mostrar o livro a um amigo meu, ele me disse: “-Caramba, o Chaves também escreve?”

    Ok, são quase homônimos, e se o Chaves escrevesse bem, não veria nada de mais, mas culpar o “pseudo-intelectual metido a escritor” pelo engano, é brincadeira…

    Este livro entra na lista… (ai, mais um…)

  • João Paulo 02/02/2009 at 12:09

    Sérgio,

    legal saber que você também gosta muito do Bolaño. “2666” vem aí nesse início de ano, não é?

    Grande abraço.

  • Outro Paulo 02/02/2009 at 12:11

    Sérgio, leio, mas não creio… Admita que às vezes bate uma nostalgia de quando o Todoprosa pertencia ao Nomínimo rsrs

  • Hefestus 02/02/2009 at 12:30

    Maldita inclusão digital.

    Eu até não ficaria tão chateado com a ignorância e a burrice se elas fossem nem digo humildes, mas tivessem o mínimo de boa educação adquirada em casa.

    Mas não deu tempo nem pra isso, o pessoal estava muito ocupado assistindo ao Chaves.

  • Isabel Pinheiro 02/02/2009 at 13:07

    Com atraso, Sérgio, mas ouça a minha gargalhada daqui de SP. Esses comentários fizeram valer o meu dia. Será que esse povo clica também quando é notícia do Chavez? TIpo “Chavez faz discurso ao vivo na TV”? Porque um S, um Z, não devem fazer diferença alguma…

  • Chico 02/02/2009 at 15:37

    Menos. Menos…O “OsDetetives Selvagens” eh um bom livro, mas paro por ai. Tentei ler “Amuleto”. Tentei. Li. O Detetives Selvagens eh melhor. E vamos mudar de assunto, nao (?), pois acho que a crise economica inflaciona muita coisa…

  • Claudio Soares 02/02/2009 at 17:01

    Pessoal, não sejamos tão radicais. Foi uma boa oportunidade [mesmo que por engano] dos fãs do “plural” Bolaños saberem da existência do “singular” Bolaño [apesar da minha crítica ao endeusamento pós-mortem deste]. Seria interessante até, sugiro, um intertexto, uma análise comparativa talvez [é possível, com alguma criatividade], de suas prolíficas obras [e antes que insinuem, peço, por favor, que não contem com essa minha astúcia… :) ]

  • Claudio Soares 02/02/2009 at 17:07

    Agora, pela foto, poderia jurar que se tratava do Charles Aznavour, de cabelo pintado e sobracelhas desgrenhadas… :)

  • Vinicius 02/02/2009 at 22:03

    Claro que criticar o Sérgio por causa do título supostamente ambíguo (discordo totalmente) é uma grande bobagem. Mais aí vem uns playboyzinhos de m.erda dizer que isso é culpa da inclusão digital… É aí que eu meu pergunto: Como que uma pessoa que se diz tão superior culturalmente adota uma postura da mais extrema ignorância como essa?? LAMENTÁVEL.
    Por isso que eu prefiro o Chaves mesmo, podem me rotular de ignorante, de néscio ou qualquer outra coisa do gênero, mas pelo menos conheço a história do meu país, tenho total dimensão do que é a falta de acesso a cultura neste país e principalmente, tenho noção de como é a distribuição de renda no Brasil.

  • Alexandre 02/02/2009 at 22:11

    Quase perco este show de bizarrice. Hahahah! Bolaño x Bolaños… Putz! Sérgio, o sr é um gentleman. Que absurdo, Alexandre Dumas tinha razão, a burrice é pior que a maldade. Com a maldade ainda temos alguma chance… até um inusitado
    Charles Aznavour entrou na história. Hahahah! Desculpe, mas que foi engraçado foi…

    P.S. Detetives Selvagens é um grande romance. Chaves é um programa genial e o Sérgio um excelente escritor, mas que não
    suspeitou da astúcia da molecada. rs Cheguei do trabalho cansado, mas depois dessa até melhorei. Um abraço.

  • JH 02/02/2009 at 22:30

    Caro Sérgio,

    Não se engane, grande parte dos comentários acerca de Bolaños X Bolaño é pura sacanagem. Algumas até que inspiradas. É óbvio que sempre vai haver cretino capaz de acusar você de “propaganda enganosa”, mas não foi o caso dos comentários aqui.

    I hope so!

    ;o)

  • Claudio Soares 02/02/2009 at 22:54

    Ou o Alexandre não entende um comentário espirituoso, ou não conhece Aznavour, ou pior ainda [como seu comentário atesta] não sabe valorar burrice e maldade [o que não me parece coisa muito inteligente]. De qq forma, ainda acho que o fato de alguns terem confundido o autor [acredite Alexandre, o conheço] com o ator [tb conheço] não deveria ser considerado [pelos “intelectuais”] um crime contra a humanidade… até porque não o é.

  • Hefestus 03/02/2009 at 01:31

    Vinícius, Playboy é o seu nariz.
    O que eu critiquei – e continuo criticando – é não a falta de acesso à cultura, que essa existe mesmo (embora bem menos, mas muito menos ligada a esse seu papo comuna de “distribuição de renda”).
    Critiquei – e continuo criticando, é bom repetir – o quanto alguns néscios, ignorantes e coisa do gênero simplesmente se comprazem da própria ignorância travestida de “verdadeira cultura popular”. Releia os comentários e verá do que falo.
    E a propósito, minha postura não é ignorante, é arrogante mesmo.

  • Lombardi. 03/02/2009 at 11:55

    Pelo pequeno texto pinçado me parece um belo romance ” Os detetives selvagens” tradusido por Eduardo Brandão), do chileno Roberto Bolaño.

    E se você sugere deve ser realmente uma das obras fundamentais da literatura contemporânea.

    Vou ver se consigo guardar ‘algum’ para me dar de pressente no próximo mês.

    Respeitosamente.

  • Inútil 03/02/2009 at 14:53

    Isso tudo foi tramado pelo Sérgio… os movimentos dele são friamente calculados…

  • isaac 03/02/2009 at 20:21

    só o bolaño para gerar tantos comentários engraçados e geniais.
    um grande viva ao gênio morto recentemente, um gênio que faz sucesso: tanto para odió quanto para o amor à ele.

  • Mr. WRITER 04/02/2009 at 18:03

    Tenho uma grande curiosidade com este livro do Bolaño. Desde que o descobri quis lê-lo. Só flata comprar agora que a curiosidade fora aguçada mais uma vez.

    E é engraçado constatar mais uma vez que as duas substâncias mais abundandades do Universo são o Nitrogênio e a Burrice. Alguns vieram descarregar um pouquinho de sua burrice aqui no Todoprosa. Pena que ao contrário do Nitrogênio, a burrice parece não conhecer limites…

  • Mr. WRITER 04/02/2009 at 18:25

    Algumas pessoas precisam, urgentemente, de aulas sobre como usar a internet além das usuias trivialidades como email, bobagens, orkut, msn, games, pornografia, downloads, blogs e tantas outras paisagens virtuais…

    O cara sabe usar a net para tanta coisa, mas é incapaz de usá-la para aprender a não ser um perfeito imbecil.

    Teve gente acima que perdeu grandes oportunidades de ficar calado e não passar por um perfeito idiota.

    Não conhecer Bolaño e confundí-lo com Bolaños acho até normal, mas daí a se indignar e externar isso com comentários tão idiotas é passar atestado de imbecilidade plena…
    A mesma internet que o cara usa pra se divertir é incapaz de lhe fazer pesquisar um pouco mais e não bancar o otário em uma caixa de comments…

    Ninguém é obrigado a saber a difença, isso é fato, mas em um blog de e sobre literatura o cara enviar comments confundindo um autor com um ator é, sem sombra de dúvidas, atestato de burrice.

  • Vinicius 06/02/2009 at 21:44

    Hefestus, o sr. além de ignorante é mal-humorado rsrs.
    1º Política de distribuição de renda não é o mesmo do que distribuição de dinheiro. Se distribui a renda dando acesso a educação, cultura e oportunidades.
    2º Inclusão digital permite aos menos favorecidos acesso a informatica, cultura, notícias e atualidades, algo fundamental para que estas pessoas saiam da situação em que se encontram.
    3º Comunismo é ridículo, não funcionou, não funciona e nunca vai funcionar. Imagine o estado brasileiro controlando todos os bens de produção?
    4º Procure diferenciar cultura popular de cultura de massa, são coisas totalmente diferentes. É o than não é cultura popular.
    5º Arrogancia é uma forma de burrice

  • thiago 21/02/2009 at 06:54

    chaves é legal. mas esse livro é uma maravilha, entrei em uma fase de leituras de literatura latino-americana e resolvi mergulhar no turbilhão que é detetives selvagens. rendeu muito, penso até em fazer meu mestrado sobre esse livro do bolaño!

  • Felipe Rodrigues 07/04/2009 at 15:04

    Achei o máximo essa ‘discussão’. Coisa que o Bolaño(s) faz com maestria em alguns episódios – para quem é fã, basta lembrar dos célebres mal-entendidos com troca de bolos e afins. O Bolaño(sem ‘s’) também é genial. E, ‘noves fora’, gostar de um não significa odiar o outro – e vice-versa – e versa-vice.

  • KARINA SILVA 24/11/2011 at 09:37

    adora chaves aiaiaiaiai que vontade que eu tenho de ser dona florinda rsrsrs

  • KARINA SILVA 24/11/2011 at 10:22

    kkkk meus caros leitores estamos na era em que a televisao manda ganha mais fama que aparecem nas teles da TV e natura que estas pessoas tenha confundido o roberto( chaves ) com o roberto escritor .

    mais tem muitas pessoas que o confundem e que na grande parte da população não só no brasil como em todo o mundo conhecem mais pessoas que apareçe na telinha da TV isto e fato , apesar o roberto escritor ser um genio o roberto que é o chaves tem mais audiencia , sendo os dois com nomes parecidos e natural que todos pensem que era o chaves ate eu quando vi a materia pensei que era o chaves .
    agora oque não pode ter uma resposta com um comentario arrogantecomo o de ISABEL PINHEIRO 02/02/2009 Em dizer que a maioria das pessoas confunmdem Z com S .

    sinceramente eu também prefiro o CHAVES do que qualquer tipo de escritor , NAO SÓ EU MAS A MAIORIA DA POPULAÇAÕ DO MUNDO CHAVES E UM MITO coisa que este escritor não deve ser .
    mas tudo bém os NERDES OU MAIS CONHECIDOS COMO INTELECTUAIS fazem esta comparação idiota .

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial