Começos inesquecíveis: Campos de Carvalho

10/02/2007

Aos 16 anos matei meu professor de lógica. Invocando a legítima defesa – e qual defesa seria mais legítima? – logrei ser absolvido por cinco votos contra dois, e fui morar sob uma ponte do Sena, embora nunca tenha estado em Paris.

E já que mencionei a sisudez da literatura contemporânea, aí vai o supra-sumo do contrário: o primeiro parágrafo do romance “A lua vem da Ásia”, lançado pelo grande Campos de Carvalho (1916-1998) em 1956 (José Olympio, Obra reunida, 2a. edição, 1995).

9 Comments

  • Rodrigo Levino 10/02/2007 at 10:18

    Campos de Carvalho foi sem dúvida uma das cinco maiores obras literárias que aportaram na minha estante. Morreu desassistido, magoado, pouco lido. Deveria ser distribuído em escolas, universidades, bibliotecas, é dos patrimônios literários mais desperdiçados deste país. Até para comprar é difícil, tendo em vista a má distribuiçao desta última edição de 1995 da obra reunida. Existiriam herdeiros de tão grandioso humor? Quem? Antônio Prata? Daniel Sour? Márcio Nanziazeno? Antônio aliás o entrevistou poucos dias antes de morrer. O depoimento dele sobre o fato é belíssimo.

  • Saint-Clair Stockler 10/02/2007 at 11:54

    O Daniel Pellizzari tem um pouco de Campos de Carvalho.

  • Ricardo Linck 10/02/2007 at 12:30

    Adoro o Campos e a abertura é demais… Mas falando em craques, quem leu o Ivan Lessa hoje??? Ele ainda não sentou numa cadeira Sérgio Rodrigues, mas adora os livros e as notas do excelentíssimo escritor e colunista! Eu – claro – tô com o Lessa.

  • Roberto R. 10/02/2007 at 12:38

    Grande Campos de Carvalho. Se não me engano saiu uma reimpressão dessa edição de 1995, não é tão difícil assim de encontrar. Quanto aos “sucessores” (essa é uma palavrinha terrível, não?), Antonio Prata seria uma boa aposta, se parasse um pouco de escrever crônicas e se arriscasse num gênero mais longo.

  • Sérgio Rodrigues 10/02/2007 at 13:17

    Valeu, caro Linck. Grande abraço.

  • Nego Lee 10/02/2007 at 15:42

    É o mais espetacular livro da língua portuguesa.

  • Clarice 10/02/2007 at 16:17

    Esperemos a ALBA escrever sua brilhante opinião.

  • Rodrigo Levino 11/02/2007 at 02:35

    O Pellizari e uma boa pedida sim. Humor impecavel. Quanto ao Antonio, um passarinho verde andou cantando por ai que ele comecou a escrever o primeiro romance… Aguardemos.

  • Carlos Marques 13/02/2007 at 12:10

    Bem lembrado, Rodrigo. O relato da última entrevista do Campos de Carvalho ao Antonio Prata está no prefácio de “Cartas de Viagem e Outras Crônicas”, e é de fato emocionante. Se o livro em si já é ótimo e agradável, com esse prefácio então…

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial