Conselhos literários fundamentais (IX)

08/06/2011

Pense nas palavras como amantes jogo-duro, seres neuróticos e esquivos que, para cada noite de prazer desbragado a apontar o infinito da posse plena, destinam ao insensato que com elas se envolve trezentas noites de gagueira e frio e fome não saciada, de cabelos puxados no meio do deserto no mais atroz desespero. Desconfie das palavras. Se declaram amor, exija mais, cobre provas, invente caprichos. Se lhe dão as costas, vá atrás. Sendo preciso chegar a tanto, implore, humilhe-se, mas guarde uma secreta porção de orgulho ferido: ela lhe será útil quando, após a próxima reconciliação, vocês brigarem de novo. Se desconfiar que as palavras lhe são infiéis, é porque são mesmo. Entregam-se a qualquer um que as saiba afagar, as vagabundas: o que são os clássicos da literatura universal senão os autos de seu ancestral pendor pela galinhagem? É só você que elas desprezam. Diante de suas cantadas subitamente ineptas, reviram os olhinhos, tingem os lábios de frio desdém. Revirar-lhes os olhinhos de prazer, morder seus lábios gulosos será então, para sempre, a ideia fixa do escritor, o padrão-ouro de sua vida. Coitado. Se tiver habilidade e sorte, conseguirá ter com as palavras uns poucos momentos memoráveis, o que é ótimo, contanto que não lhe suba à cabeça. É importante não esquecer que elas sempre vencem no fim, sempre esnobam, vão se entregar aos outros, ao mundo, a ninguém, deixando atrás de si, como uma cauda de cometa, o mudo turbilhão de indiferença que é a herança de todos os seus amantes.

*

Mais conselhos fundamentais.

3 Comments

  • candida 10/06/2011 at 10:08

    uau… “bola na rede é gol”… :)

  • J.M.P.souza neto 10/06/2011 at 19:18

    O andar da vaca
    Estava na duvida, “você pode ser sincero consigo mesmo?”. As olhadelas no espelhosão todas diferentes,ângulos diferentes,alguns mas largos,ou finos.Ou isométricos.Ou nãodisformes,amorfos.Sem forma.Mas tudo a vista era inerente,podia sentir.
    Você sabia que as vacas andam em ciclo?Temple Gradin sabe.Criou um sistema maishumano para matá-las.Continuam andando em ciclos,sem consciência,repetindo o que vem nafrente,o rabo de outras.É mais eficaz.Ela é autista.
    Não existe diferença alguma entre um artista e um autista. Entre ninguém. Só há para alguém extremamente confiante, profundamente empenhado, indiscutivelmente atrevido e permanentemente atraído. Sensível?Você sempre deve ser achar bonito, não é?Com razão, mas toda vez caio.Rasas ondase historinhas tímidas. Pois nada se sente com olhares. Só há luz e ondas.Física.Nenhum brilho.Nem espelho.Talvez algo abstrato que não quer dizer nada.Ah!Não me entenderiam,qualquer suspiro sufoca.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial