Curiosidades etimológicas: Puxa!

14/11/2009

Todo mundo pode falar “puxa!”. Tem ótimo trânsito na família brasileira essa interjeição, faz tempo que vem se perdendo nela a memória da puta. Puxa vida! Vida cadela! Está no Houaiss: puxa, “forma eufemística do substantivo puta, tomada de empréstimo ao espanhol pucha (c1500) ‘eufemismo por puta; interjeição de surpresa, desgosto etc.’”

Puxa é como cacilda, caramba, caraca, tabuísmos atenuados. De todos eles, é provavelmente o que disfarça melhor a sua origem. Não para Glauco Mattoso, que não tem dúvida sobre ela em seu bilíngüe “Dicionarinho do palavrão & correlatos” (Record): manda direto de Puxa!, Puxa vida! para Puta merda!, e traduz para o inglês: “Hell’s bells! Hot damn! Holy shit! Holy fuck! Holy cow! Fuck a duck!”, e por aí vai.

Mas puxa é diferente, todo mundo fala. Confunde-se com o verbo puxar, parece uma interjeição inocente. O Houaiss informa que Antenor Nascentes e Cândido Jucá brigaram pela grafia pucha, “mais consentânea com o étimo”, mas perderam. Ainda bem.

Curioso: de poxa, que o dicionarinho do poeta Glauco não registra, os dicionarões dizem apenas isto: o mesmo que “puxa”. Nem uma palavra sobre a óbvia mudança de palavrão que a troca de vogal provoca.

Publicado no “NoMínimo” em 16/5/2005.

32 Comments

  • Edna 14/11/2009 at 17:14

    Puxa

  • carlos 14/11/2009 at 17:15

    Bacana… vivendo e prendendo.
    Gostei.

  • Marcos 14/11/2009 at 17:16

    Infelizmente descordo, o correto sempre foi “poxa” e não “puxa”.
    Em todo caso poir que o exemplo dado aqui é o “porrada” e “esporro” que a principio tem o sgnificado de ajaculação mas usado inclusive em programa de tv com o sentido de pancada e chamada ou chamar a atenção.

  • Franklin 14/11/2009 at 17:20

    Puxa que pariu!!!!

    • zanza 14/11/2009 at 17:36

      Eita! E eu achando que estava puxando a vida…. ( gosto de tudo que puxa e atrai vida. Sempre Vida… )
      Eita… tenho o hábito de deixar algo quando dá duplo sentido… para evitar …

  • Edna 14/11/2009 at 17:33

    Para Marcos………….Poxa é outra história…………..ele ia escrever no próximo sabado……………você tesorou!….(risos)…………Poxa é música……..é poesia…………É: poxa como foi bacana te encontrar de novo curtindo um samba junto com meu povo…………….voce não sabe como eu acho!!!!!!!!!! Só infelizmente esqueci o compositor………….lamento………!!!!!!!

  • Edna 14/11/2009 at 17:41

    Para Marcos………Poxa é outra coisa………..Ele ia escrever no próximo sábado……….você tesourou ele…..(risos) ……….Poxa é música, é poesia………………Poxa é: Poxa como foi bacana te encontrar de novo curtindo um samba junto com meu povo…………voce não sabe como eu acho bom………..Só lamento ter esquecido quem é o compositor…………..!!!!!!!!!!???????????

  • Humberto 14/11/2009 at 17:47

    Depois de ver no Jô um b.abaca que ao ser entrvistado também cantou uma porcaria de músiquinha, com refrão de É DO C.ARALHO, É DO C.ARALHO, acho que a polêmica de puxa, poxa, pocha é irrelevante. No século XVIII pode ter causado problemas, mas já caiu no popular e NINGUÉM se preocupa com sua origem e é muito menos problemática do que outras barbáries cometidas no assassinato do nosso idioma. Basta ver o discurso dos políticos…

  • reinaldo 14/11/2009 at 17:48

    putttttzzzzzzzzzzzzzzzzz

  • Renato Batisteli 14/11/2009 at 18:05

    Mais ou menos como cá em Portugal onde ao invés do foda-se os mais recatados dizem: Foças pa!

  • zanza 14/11/2009 at 18:20

    Eita, Sérgio, não sei “o que faz ” um livro querer ser lido ou ser escrito. Mas o “Lolita” com aquele rosa lindo e passos num palco ( assim vi a capa), me pareceu lindo pela capa. Quando vi de quê se tratava… me perguntei… por que o Sérgio gostaria de ter escrito este livro: Será por justamente náo escrevê-lo nunca…

    Eu escreveria por causa da capa e dos passos num palco… mas o enredo…

    Eita… é que futuquei…

  • MARCO 14/11/2009 at 20:09

    HUMBERTO, Caralho também não origina de palavrão, não sei onde vi, mas era o cestame no mastro. Lá ficavam os indisciplinados pois balançava muito e era incômodo, logo. Vai para o CARALHO e vai para um lugar ruim.

    • Ezio José 14/11/2009 at 20:58

      Caralho era um cesto que ficava nos altos do mastros das naus nos tempo das grandes navegações. Havia uma escala de plantão entre a tripulação da nau em que cada um cumpria um determinado tempo no Caralho. Por pouco que fosse esse tempo no Caralho, quem alí ficava sentia enjôos em virtude do balanço que sofria das ondas e por cauda do mastro ser muito alto o Caralho fazia esses movimentos um um ângulo muito aberto. Quando algum marujo, seja quem fosse da tripulação, cometesse um ato indisciplinar, era punido com horas extras extensivas ao seu período normal de permanência no Caralho. A função de quem fica no Caralho era observar tudo o que a luneta a sua disposição alcançasse ver. Em caso de eminente perigo, o plantonista que estava no Caralho tinha a obrigação de fazer o alerta. Foi do Caralho que nosso Brasil foi visto pela primeira vez pelos portugueses, e quando o avistou em alto mar disseram TERRA À VISTA!!!!!! Desde então passamos a ver e perceber tudo à prestação…

  • Edna 14/11/2009 at 21:51

    Caramba, PUXA, tá faltando CARALHO………….nesse País.!!!!

  • zanza 14/11/2009 at 22:10

    Melhor seria que subíssemos em Carvalhos! Árvores da vida… Para começarnos a observar melhor tudo o que acontece por trás de, muitas vezes, “ritos inocentes culturais”, jogando muitas vezes, uma cidade no caldeirão.
    O problema é que …” Eita! Eu quero é viver… que se dane o próximo, a família, a cidade a Nação” .

    O quê que temn a ver tudo isso com este comentário, né…
    Mas a questão é… ONDE VOCÊ ESTÁ SUBINDO$ PARA VER O QUE$…E SE VER… O QUE VAI FAZER$. ( estou sem interrogação…)

    Puxemos a vida…

  • Gustavo 14/11/2009 at 22:48

    O palavrão é a expressão mais franca! assim como uma carete de criança!! blé! putz! pqp! existe mais presença verbal do que um plavrão? no entanto é necessário que sejamos oportunos… pois existem similires que substituem mto bem.. putz grila!! pinóia!! ponte que partiu entre outros…
    fui!

  • Gustavo 14/11/2009 at 22:49

    isso aí Ézio! caraleo!! clap clap clap clap salve o valor etimólogico!!

  • Edna 14/11/2009 at 22:49

    Zanza…….. hora pois- pois………. dou-te ?????????????????Em Portugal…………….eu cá ………….comigo…………..penso………………não deu certo………..pois-pois……………as lombadas……………..vocês……..puseram…………..as tartarugas………….vivas!!!!!!!!!Hora pois-pois…………!!!!!!!!1

  • zanza 14/11/2009 at 23:20

    Ô Elza… Depois eu que viajo… pôxaaaaaaaaaaaaa

  • Edna 14/11/2009 at 23:54

    Sérgio!……….. você entendeu por que que caem vigas………..por que que ficamos sem luz……………….é tudo …………..zanza…….nas hidrelétricas……………..nas engenharias…………da Patria Amada Brasil!!!!!!!!!!!!!!!!! Vai entender um fdp desses……………….(risos)……….

  • Tatuí Virgílio 15/11/2009 at 00:14

    Marcos, você poderia provar, por favor, por que o correto é “poxa” e não puxa ?

    No mais, o correto é discordo e não descordo. Você pode conferir a grafia em qualquer dicionário à sua escolha

  • Sandra 15/11/2009 at 02:18

    Adoro todos os comentarios, mas a verdade eu acho que nos brasileiros usamos puxa e poxa sem nenhum questionamento.

    Puxa vida!!!!! nao acredito que o povo brasileiro vai acreditar que foram tres raios simultaneamente que cairam em Itaipu.

    Poxa vida!!!! porque sera que os americanos querem vender os cacas para o Brasil?? pra se defender de quem?

    A diferenca entre os USA e o Brasil e que aqui eles trazem as noticias a tona, seja quem for o responsavel, e no Brasil e tudo camuflado.

    O Lula e sua equipe deveriam se vestir com roupas camufladas.

    Como diria minha mae, esta historia do apagao e gato.

  • Junior 15/11/2009 at 02:34

    Quanto será q tá um programa com uma puxa de luxo?
    poxa!!!!!!!!!!!!

  • Hermano Souza 15/11/2009 at 05:52

    Realmente tem muita gente com tempo de sobra.
    Perdi o meu. Não agraga nada.

  • Arthur 15/11/2009 at 06:55

    Por falar em puxa, você continua devendo a origem de puxa-saco.

  • Bi 15/11/2009 at 10:29

    continuamos pagando para alguns fazerem algo que ninguem ira usar, puxa que moleza, caracas eu trabalho 18 horas por dia, será que devo trocar de profissão.

  • zanza 15/11/2009 at 10:39

    Sandra falou e disse. E o pior, brasileiro gosta de ser enganado.
    Tem até um jargão: “(me) engana que eu gosto”. De tanto falar, entrou no inconsciente e é esta pasmaceira onde tudo é brincadeira enquanto os corruptos pensam que são sérios.

    No dia em que os brasileiros souberem quem eles realmente são em Cristo, como plano de povo de confins da terra e que os últimos serão os primeiros, eles morrerão de vergonha de terem brincado de serem enganados por tanto tempo.
    Que pena…
    Coisas de árvore soberba… cinza… que pensa que sabe, mas que por não irem às fontes fidedignas acabam repetindo como papagaios as inverdade fotocontadas nas revistas anticientíficas da morte. E assim, vão sendo cada dia mais, presas fáceis…
    Que pena…
    Vale aqui um… PUXAAAA !

  • Phil 15/11/2009 at 10:50

    Devemos então utilizar apenas a palavra PUTA, deixar esse puxa para lá, a verdade é que todo mundo conhece os palavrões, e os mesmos devem ser escritos, para fixar a forma correta, seja de falar ou escrever, vejamos o Puta que pariu, uns dizem puta que o pariu outros puta que te pariu… até puta quel paril…. Seria foder ou fuder? melhor exercitar tudo isso senão toda puta não passará de uma puxa interjeição

    • zanza 15/11/2009 at 11:15

      Todas as vezes que a Árvore da Vida se apresenta ,os frutos da árvore do conhecimento do bem e do mal são expostos… E vem com uma raaaaivaaa puxada.

  • zanza 16/11/2009 at 07:29

    Phil, e o que acho melhor de Árvore da Vida, é que ela em vez de registrar as palavras que são contra e discriminam determinadas “pessoas feridas” (as pessoas só se descambam para o que é errado porque foram feridas de alguma forma), ela quer que suas folhas sejam para a cura destas pessoas, para que elas possam usufruir dos bons frutos e ajudar outros a fazerem o mesmo. Enquanto que a àrvore do conhecimento, em sua soberba e todos os desdobramentos que a acompanham, quer só ferir cada vez mais as vítimas das feridas que consequentemente vão ferindo aqui ali e ali. Ah… a Árvore da Vida, faz questão de apagar todos os “tês” que possam querer acompanhar as “Puxas da vida” ( …

  • Maria Cristina 18/11/2009 at 12:16

    Oi, Sérgio,

    Vamos ter paciência, um dia isso passa.
    (caraca!!)

    um abraço,
    Maria Cristina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial