Eu vi o futuro, mas esqueci

06/11/2009

carro voadorEste post ambiciona ser uma saudável ducha de humildade no caldeirão quente em que agora nos debatemos todos os que lidam com livros, da escrita à divulgação, empenhados – inevitavelmente, mas mesmo assim… – em prever o futuro do nosso negócio.

Vale lembrar um axioma indestrutível: todas as grandes previsões sociais, econômicas e tecnológicas estão fadadas ao erro. Por definição, só o que não foi previsto pode acontecer.

Mas continuamos prevendo, o que garante o ganha-pão deste divertidíssimo site, o Paleo-Future, que leva o seguinte subtítulo: “Um olhar sobre o futuro que nunca foi”. Trata-se de uma coleção – organizada por décadas e começando em 1870 – de prognósticos furados que em algum momento gozaram de crédito junto ao público e aos meios de comunicação. Como o automóvel voador (desenho acima) e a semana de trabalho de 16 horas (que chegaria em 2020 – alguém acredita que esta previsão ainda possa decolar?).

A futurologia que cabe aos escritores de ficção científica também é desmontada por um deles, Cory Doctorow, neste artigo recém-publicado na revista “Tin House”:

Todo escritor de ficção científica tem uma FAQ – Frequently Awkward Question, Pergunta Embaraçosa Frequente – ou duas, e para mim é esta: “Como é possível trabalhar como autor de ficção científica, prevendo o futuro, quando tudo muda tão depressa? Você não teme que os eventos reais ultrapassem aqueles que você descreveu?”

É uma pergunta do tipo sincero, e seu autor ainda faz a gentileza de escalar você como Sábio Previsor no pacote, mas acho que é uma bobagem. Escritores de ficção científica não prevêem o futuro (a não ser por acidente), mas, se forem muito bons, talvez consigam prever o presente.

Do tirocínio futurista dos economistas nem é preciso falar. Mas será que os cientistas se saem melhor? Não muito, segundo este artigo de Stuart Blackman na “The Scientist”:

Naturalmente, os cientistas são fortemente incentivados a fazer previsões ousadas – a saber, para conquistar financiamentos, influência e acesso a publicações de peso. Mas, se poucos deles ficam desapontados quando seus prognósticos mais pessimistas não se confirmam, previsões não realizadas – do tipo que estamos vendo cada vez mais – podem ser um golpe duro para os pacientes, os encarregados de traçar políticas públicas e a própria reputação da ciência.

Depois de considerar tudo isso, não resisto a uma previsãozinha singela: em 2050, se o mundo não acabar antes, o ser humano ainda estará prevendo o futuro. E errando.

25 Comments

  • cely 06/11/2009 at 13:31

    Posso fazer só uma previsãozinha?Gostei do seu texto,mas acho que vai ter cada comentário sem graça!
    É que os seus leitoress são mesmo imprevisíveis.Isto já é suficiente para tornar o presente bem interessante…..

  • Sara 06/11/2009 at 13:51

    Só não quero ver por aqui a previsão de que você vai nos abandonar tal como fizeram Pedro Dória e Luiz Antonio Ryff, nossoa saudosos blogueiros… Bjs

  • Rosângela 06/11/2009 at 13:55

    Será que devo comentar? Não arriscarei…
    Que texto! Ele fala por si.

  • Tibor Moricz 06/11/2009 at 14:18

    Farei uma previsão: em 2050 o mundo terá acabado e os poucos sobreviventes com muita Fome.

  • cely 06/11/2009 at 14:50

    Sérgio,sinceridade, procede o temor da Sara?

    • Sérgio Rodrigues 06/11/2009 at 17:51

      Caras Sara e Cely, não procede. Mas obrigado por se preocuparem.

  • Walter YC 06/11/2009 at 14:50

    Aquele monge do ano 1200, como se chamava? Roger Bacon, isso mesmo. Preveu o submarino e outras tranqueiras. Acertou tudo. Julio Verne todo mundo conhece, também acertou, previu até o dirigível, os trajes de mergulho debaixo d´agua e até a energia atômica.
    Uma vidente do século XVIII descreveu o que vira – carruagens sem cavalos e a comunicação através do mundo seria instantânea: as pessoas falariam umas com as outras e se veriam dentro de uma caixa.
    Algumas previsões batem certo, vê lá…

  • Hari Seldon 06/11/2009 at 15:37

    O futuro é determinado, só que não é determinável :)

  • Rafael 06/11/2009 at 16:50

    Antes de jogar uma moeda para o alto, eu disse em voz alta: “vai dar cara”.

    Errei, deu coroa.

    Tentei novamente: “vai dar cara”.

    E acertei: deu cara.

    Nada mal (reconheçam) para quem nunca antes havia cogitado de prever o futuro.

    Tudo é questão de treino.

    Júlio Verne, Nostradamus, Mãe Dinah e Tibor: cuidem-se!

  • joão sebastião bastos 06/11/2009 at 20:23

    Uma boa leitura para quem curte preocupar-se com o futuro, é Um cântico para Leibovitz, do Walter Miller Jr,.

  • Rosângela 07/11/2009 at 09:11

    Gostaria de trazer uma palavrinha ao Rafael do treino da “moeda cara e coroa”.
    Nostradamus, Mãe Dinah e Tibor, não estavam imbuidos de humildade de Jesus para trazer fruto da Árvore da Vida. Muito pelo contrário. Além de não trazer o fruto ainda roubam os poucos frutos da Ávore da Vida de alguns. Estão preocupados em vender seu fruto amargo de morte, tirando a possibilidade do mais belo que uma pessoa possa ter, que é de ir livremente até a Árvore da Vida, pegar do seus frutos e repartir.
    Eis a grande diferença.
    Entre vender fruto de Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal predendo a alma das pessoas e compartilhar com o próximo sobre uma Árvore de Vida que pode ser colhida livremente, há um abismo.

    Quanto ao treino, é sempre assim, os buscadores da Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal terão que treinar ,pois nunca terão a revelação do caminho, haja vista trazerem em seu bojo a semente do mal. E tem que haver um limite para o mal. Mas os buscadores da Árvore da Vida terão a Revelação, pois são como crianças e vêem o Reino de Deus como possibilidade de servir ao p´roximo em amor.

  • Rosângela 07/11/2009 at 09:21

    Rafael eu tenho mais a dizer: Você está certo. Temos que nos cuidar sim. Pois todas as vezes que Deus está trazndo fruto da Árvor da vida para os seus filhos, aparecem muitos que querem roubar os frutos, enganar, e desfazer o caminho que leva a tal Árvore da Vida, fonte inesgotável eu confronta os Nostradamus e Dinahs da morte… pois não poderia dizer da vida, jamais.
    Eu também gostava de comer muito do fruto da Árvore do Conhecimento do bem e do mal. Achava muito bom pois relativisava dizendo para mim mesmo: Eu só pego fruto do bem. Grande engano. Enquanto não desfiz desta àrvore, não pude provar do bem em minha vida. Hoje depois de tudo morto. Depois de entregar todos os pontos. Depois de pensar que tudo tinha “acabado literalmente”, e que bastava-me somente meu Senhor Jesus Cristo, Ele me vem com algumas gracinhas, incompreensíveis ao meu próoprio entendimento, mas que sei que nada mais é que não seja eu ajudar o próximo a encontrar esta Fonte Inesgotável, que é o PRÓPRIO JESUS CRISTO em nós!.

  • Rosângela 07/11/2009 at 09:28

    Errata:
    Onde lemos: fonte inesgotável eu confronta os nostradamus e dinahs da morte…

    Leiamos: fonte inesgotável que nos dará condições de confrontrar com a Verdade os nostradamus e dinahs da morte…

  • Rosângela 07/11/2009 at 09:37

    Ah! Nada é novo debaixo dos Céus. Quem lê a Bíblia tem mais conhecimento e pode perceber seu entorno sem as lacunas deixadas pelos que não lêem. E muitos lêem sem revelação, ai são “pegos” em detalhes que fazem grande diferença. Outros ainda lêem para pegar tudo o que é fruto da Árvore do Conhecimento e transformar em feitiçaria para impedir caminhos do próximo. Até que tem aqueles que cheios de Jesus se gastam e se deixam gastar por amor a Jesus e todos os Seus filhos.
    Estamos vivendo hoje este tempo. Muitos deles estão nos bastidores, mas logo logo, resplandecerão como estrelas e para sempre. Está Escrito.
    O bem nunca virá com a Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal. O Bem só virá com a Árvore da Vida. E chegou a hora! Vivamos, amados! Comamos deste fruto, pois é fonte inesgotável…

  • Tibor Moricz 07/11/2009 at 10:11

    Rosângela me matou e ainda me comparou a um anjo da morte. Quanto a me matar, bobagem. Mas me comparar a Nostradamus e Mãe Dinah da morte… muito orgulho. Obrigado, Rosângela, que Deus te abençoe na Sua infinita bondade e que continue te dando esse poder indescritível de julgamento que, certamente, a separa da grande maioria de insensatos.

  • Rosângela 07/11/2009 at 11:01

    Em tempo:
    Rafael, depois que prcebi que você se referiu a Nostradamus, Mãe Dinah e Tibot quando disse: Cuidem-se. Realmente o einado deles acabou. Não só deles, como de todos que usam de prognósticos de Árvore do bem e do Mal.

    A luz expõe as trevas . Deus não vai nos deixar viver em ilusão eternamente. Mas também não vai interferir nas escolhas. Vai aumentar por aí desregradamente, o engano. Mas vai depender de cada um a Árvore a escolher.

    Está Escrito: “Meu povo sofre por falta de Conhecimento”.
    Que conhecimento? Conhecimento dEle mesmo. Grande perda não conhecer o Deus Vivo revelado em Amor e em Misericórdia!

  • C. S. Soares 07/11/2009 at 11:13

    O grandioso Jules Verne era pago para escrever, não para prever, mas soube, como poucos, através da lógica, antecipar flashes do “futuro”.

    Se imaginou a televisão, o foguete e a videoconferência, o fez porque era leitor assíduo de Scientific American, Le Tour du Monde, Cosmos e Revue des Deux Mondes, além de escrever para Hetzel, seu editor, a ‘Geografia ilustrada da França e de suas colônias’.

    E Borges, era o vidente de a ‘Biblioteca de Babel’ ou usava apenas a lógica associada à informação?

    Sabemos que o mesmo início de ‘O Livro de Areia’ (“A linha consta de um número infinito de pontos…”) também pode ser encontrado na resenha que fez para o livro “Matemática e Imaginação”, de Kasnet e Newman.

    Apenas como curiosidade lembro que é neste livro que aparece a palavra GOOGOL, que anos mais tarde inspiraria o mecanismo de buscas GOOGLE.

    Resumindo: eles é que são videntes ou nós é que somos desinformados?

    Mas eu também acredito na tese do pensamento construtor, do contrário não teria sugerido no SD8 aquela pequena e consciente corruptela do ‘Cogito Ergo Sum’ de Descartes: “Se penso, logo existe!”.

  • Rosângela 07/11/2009 at 11:58

    iiii relativiZava… hum…

  • Rosângela 07/11/2009 at 12:02

    O relativiZava acima foi porque errei no meu texto. Não tem a ver com o texto do C. S. Soares.

    Mas aproveitando,e gostaria de dizr, que todo conhecimento vem de Deus. Deus. As pessoas captam. É graça sobre graça do Senhor Lindo. O que fazer com este conhecimento recebido de Graça, vai depender do caráter de cada um.

  • Rosângela 07/11/2009 at 12:03

    NInguém inventa nada. Descobre… o que já existe… Só isso. Deus é o Único Criador.

  • Tibor Moricz 07/11/2009 at 13:13

    Rosângela, suspende a pinga, que está te fazendo mal.

  • luana 07/11/2009 at 15:50

    Sergio,parabéns pela sua delicadeza.

  • Rosângela 07/11/2009 at 17:38

    Tibor Morics, amado! Nem sabia que o Tibor aqui era você. rsrsrs Verdade. Estou pensando que é um guru por aí. Perdoa eu fio, nem conheço você … Não tem nada a ver com você, não tem, apesar de nem te conhecer. Só quero deixar claro que se este nome está ligado a alguem que está comentando aqui, não foi esta minha intenção. Creia. Querido Tibor, acabo de tirar você desta encrenca. Agora entendo porquê você achou que tomei pinga. Meu Deus!!! Que horror.. Sabia lá quem era Tibor…

  • Tibor Moricz 07/11/2009 at 19:03

    Esqueça este episódio, Rosângela. Foi divertido.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial