Ferreira Gullar, o frasista

13/08/2006

Ao lado do poeta palestino Mourid Barghouti, ontem, Ferreira Gullar enriqueceu com um bom punhado de frases de efeito o repertório da Flip. A última parece ter magoado Barghouti, que não luta por outra coisa senão o reconhecimento de que os palestinos têm razão. Mas o público aplaudiu delirantemente:

A palavra não serve só para criar confusão. Ela serve também para esclarecer a confusão que a palavra cria.

No fundo o que há é a linguagem coloquial, a palavra de todos nós. O poema é o lugar em que essa prosa vira poesia.

Eu acho que nasci poeta. Há quem nasça ladrão, jogador de futebol…

Essa história de ser lido daqui a duzentos anos, a gente não sabe. Se você não passa às pessoas alguma coisa de que elas necessitam, o livro não sobrevive. O povo carrega no colo as obras de arte. Depois de algum tempo, não tem mais o crítico amigo para dar uma notinha. Se o povo não gostar, dançou.

Eu não quero ter razão, eu quero ser feliz.

6 Comments

  • Joao 13/08/2006 at 17:30

    Viva Gullar!
    ultimo bastiao do panteao da lirica nacional!
    Admiro sua lucidez. Sua despreocupacao com a vaidade de permanecer no tempo. Sua naturalidade em colocar a “arte no colo do povo”.
    Parabens!

    A Real Academia Sueca nao sabe o que esta perdendo.

  • Antônio Augusto 13/08/2006 at 19:23

    Gullar é “uma luz do chão”.
    Mas menos…
    Triste “ser feliz” sem ter razão.

  • Geraldo Magela 14/08/2006 at 21:45

    Se ele não se importa com a razão questionar o quê? Temo que ele possa ficar rouco de tanto pensar.

  • sonho bom 15/08/2006 at 06:04

    Essa frase pode ser interpretada de diversas maneiras. Se olharmos pela ótica da racionalidade obcecada podemos, perfeitamente, aceitá-la. Em ocasiões especiais e para ficar feliz, nada melhor que ouvir o que o coração diz.

  • Tanapraia 15/08/2006 at 09:55

    É preciso trocar-lhe o nome para Ferreira Angullar, e analisar suas frases sob vários ângulos…

  • O Espezinhador 15/08/2006 at 16:16

    Preferia que ele tivesse dado uns tapas na fuça do palestino…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial