Grau (de investimento)

09/05/2008

A tradução literal de investment grade por grau de investimento, embora ligeiramente desajeitada à primeira vista, não chega a soar estranha a nossos ouvidos lusofônicos porque a idéia de grau como nota que se tira numa prova está presente na linguagem comum, e no fim das contas trata-se disso mesmo – um conceito, uma posição em determinada escala de valores. No exame da banca financeira internacional, o Brasil foi bom aluno e deu mais um passo à frente, subiu um degrau, credenciando-se a uma recomendação firme de investimento. Não faltará quem considere a metáfora escolar um tanto humilhante para um país soberano. Paciência: assim caminha o mundo globalizado.

Esse grau, no fundo, não é outro senão aquele que se usa para escalonar vários sistemas de medição – da temperatura à proximidade em relações de parentesco, do teor alcoólico das bebidas à potência das lentes dos óculos. O que muda, naturalmente, é o contexto, o sistema. Em todos eles, porém, o grau corresponde sempre a um passo da escala. E é exatamente do sentido de passo (gradus em latim) que a palavra vem.

A presença de gradus em nossa língua é robusta, embora nem sempre se deixe detectar a olho nu. Evidente nas palavras degrau, gradação, gradual, graduado, torna-se menos óbvia, mas ainda sensível, em vocábulos como degradável e retrógrado. Muito mais difícil é detectar a semente de gradus, deformada por processos morfológicos variados, numa lista de palavras de uso corrente: progresso, congressista, ingresso, agressivo e digressão, entre outras. Mas a semente está lá. Na origem de todos esses vocábulos existe a idéia básica de grad-, de passos que alguém dá à frente, atrás ou de lado – para acercar-se, distanciar-se, esquivar-se, interpelar. No caso do grau de investimento, não cabe dúvida quanto ao sentido progressivo da caminhada.

Publicado na “Revista da Semana”

4 Comments

  • Pablo 09/05/2008 at 10:11

    Sérgio, a não ser que se trate de um efeito consciente, acho que há um “mais” a mais no último parágrafo, logo após a palavra retrógrado. E parabéns pelo texto. Abs.

  • Sérgio Rodrigues 09/05/2008 at 10:27

    Nada de efeito consciente, Pablo, foi deslize mesmo. Obrigado.

    E a quem está esperando a mudança de endereço do blog: a mobília já está toda no caminhão, mas me deram o prazo até hoje à noite para arrumar a casa nova. Ou seja: portas abertas para as visitas, provavelmente só amanhã. Abraços.

  • Tibor Moricz 09/05/2008 at 10:44

    Hummpf… Vou guardar os brigadeiros…

  • Rafael 09/05/2008 at 16:21

    Sérgio, seu matreiro! Fazendo propaganda subliminar!

    Como o blog está indo para o iG, pode-se dizer que ele subiu um degrau, não?

    Agora, o todoprosa é investiment Grade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial