I Concurso Todoprosa de Resenhas: Brasil, século 21

12/08/2011

Pelo menos num ponto concordam os que acham a literatura brasileira contemporânea saudável e os que a consideram um lixo: espelhando o próprio mundo da informação na era da internet, vivemos uma síndrome que é ao mesmo tempo de excesso e de carência.

Um dos traços marcantes da literatura brasileira no século 21 é a sensação de que há mais gente escrevendo do que lendo. Se é evidente que existe exagero nessa impressão (mas não muito), parece indiscutível que há mais gente escrevendo do que lendo criticamente e resenhando de forma inteligente, inteligível e íntegra a produção de nossos escritores.

Resultado: a vida literária parece um organismo em que a quantidade de alimentos ingeridos supera em muito a capacidade digestiva. Com perdão do desdobramento escatológico – mas lógico – da metáfora, o bolo fecal gerado no processo é gigantesco, mas, caramba, como se desperdiçam nutrientes!

O I Concurso Todoprosa de Resenhas está sendo lançado para suprir parte dessa falta.

REGULAMENTO:

1. Serão premiadas as três melhores avaliações críticas de livros nacionais de ficção – romances ou coletâneas de contos – lançados desde 2001 (inclusive).

2. Cada autor pode inscrever uma única resenha, que deve ser enviada por arquivo Word para o email sergio@todoprosa.com.br.

3. As resenhas devem ser inéditas e ter entre 3.000 e 5.000 toques (com espaços). Textos fora desse padrão ou que já tenham sido publicados, mesmo em blogs, serão desclassificados.

4. As três resenhas vencedoras serão publicadas no Todoprosa, uma a cada dia, acompanhadas de pequenas notas biográficas dos autores, com ampla divulgação do resultado nas mídias sociais.

5. Além da publicação, os três primeiros colocados ganharão livros relacionados aos temas em questão – ficção e crítica literária – lançados recentemente: três títulos para o primeiro, dois para o segundo e um para o terceiro.

6. As incrições se encerram às 12h do dia 12 de setembro de 2011 e o resultado será divulgado entre os dias 19 e 23 de setembro.

7. A comissão julgadora, como a madame Bovary de Flaubert, c’est moi.

9 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial