II Concurso de Microcontos: mais 21 motivos para que venha o terceiro

18/07/2012

Para encerrar o capítulo do II Concurso Todoprosa de Microcontos para Twitter, publico algumas histórias que mereceram menção honrosa e que ajudam a ilustrar a diversidade de estilos e efeitos abarcada pelos atuais praticantes do formato ultracurto. Carlos Seabra, por exemplo, consegue alçar um bom voo no terreno da fantasia em apenas 116 caracteres:

Os semícaros eram um povo unialado, cada qual com uma única asa. Para voar, tinham que escolher alguém e se abraçar.

Edson Victor Lima toma o caminho oposto, o do realismo cru que, frequentemente carregado de violência e desespero, tem a preferência da maioria dos cultores da narrativa mais-que-sucinta. Isso é compreensível – com o tempo tão escasso, nocauteemos logo o leitor – mas também traiçoeiro, por produzir um efeito que, já esperado, tende à mesmice. O microconto de Edson se destaca mesmo assim, talvez ao preço de reduzir um pouco além do desejável o espaço do não-dito:

Saco o iPhone para a última tuitada: “Me sigam, hahahaha.” Quem pode imaginar que essa é uma gargalhada de desespero? Pulo.

Já a micronarrativa de Bárbara M.W. deixa um mundo inteiro de subentendidos num flagrante doméstico de banalidade pungente:

Clara abriu a gaveta de calcinhas. Era a decisão mais importante de seu dia.

Os casos seguintes são curiosidades, mais duas para a lista de paródias de “O dinossauro”, o famoso microconto do guatemalteco Augusto Monterroso: “Quando acordou, o dinossauro ainda estava lá”. Reproduzo-os porque reforçam a ideia, lançada aqui no post anterior, de que esse gênero emergente começa a demonstrar a consciência de ter uma história. O primeiro é de Igor H. Oliveira, o segundo de Ricardo Fontana Alves:

Quando ele entrou na caverna, o desenho do dinossauro ainda estava lá.

Quando acordou, a folha em branco ainda estava lá. Monterroso levantou-se e fez um café. “Merda!”, exclamava.

De resto, um lamento: que Gilmar da Silva Cabral tenha se atrapalhado com a contagem de toques. Exemplo notável de uso do detalhe e da especificidade para dar consistência a um drama universal, seu microconto só deixou de figurar entre os primeiros colocados porque, com um estouro de 18, me obrigou a eliminá-lo (naturalmente, sendo um concurso “para Twitter”, fica entendido que os espaços entre as palavras entram na conta). Isto não é, portanto, uma menção honrosa – é um lamento mesmo. Como seria bom neste momento ser editor e não jurado para podar umas letrinhas sem cometer uma injustiça com os outros concorrentes:

Irajá. Hospital Reviver. Asilo Feliz. Casa dos Filhos. INSS. Lar na Penha. LWA Ltda. UNIG. Colégio Educar. Creche Baú. Casa dos pais. Berço. Útero. Concepção.

Com histórias de bom nível, completam a lista de 24 autores que chegaram à final Aline Naomi, Daniele Cristyne, Denival Fernandes Moreira (vencedor da primeira edição), Eduardo Sabino, Felipe Rodrigues Araújo, J.M. Cantarino, Jane Ciambelli, José Marins, Kelly Maciel, Maria Fernanda, Matheus Mavericco, Rafael Zen, Soraya Felix, Vinícius Magalhães e Zé Alfredo.

Se o concurso vai ter uma terceira edição? Pode apostar que sim.

23 Comments

  • j. damião 18/07/2012 at 14:28

    Fiquei imaginando quem seriam os semícaros, povo que se alimentaria de ácaros, algo assim? Que nada, o autor quis dizer semi-Ícaro [semi antes de h e i, hífen é obrigatório], com uma asa apenas, daí ser um povo unialado [“cada qual com uma única asa”] e temos pleonasmo então. Quer dizer: um não sabe escrever, o outro saberia selecionar? Dúvida nem um pouco cruel…

    • sergiorodrigues 18/07/2012 at 15:05

      Prezado Damião, se o último comentário já sugeria isso, este desfaz qualquer dúvida: seu juízo estético é tão furado quanto suas noções de morfologia.

  • josé marins 18/07/2012 at 16:23

    Quando Dino acordou, Monterrosso estava lá. Dedos no teclado: que venha a terceira edição!
    Abraço grande, josé marins

  • @Medeyer 18/07/2012 at 16:30

    Bah! O pior não é um poeta mandar 3 microcontos e nenhum ficar sequer entre os finalistas… O pior é o bardo ver bárbaros sequestrando as musas e ainda ver você tecendo loas à sua inspiração…
    Melhor juízo na próxima!

  • Daniele Cristyne 18/07/2012 at 17:03

    Acho que os aspirantes a escritores sempre gostam de participar de concursos. E se frustram quando não são escolhidos. Mas, mais do que isso, é sempre um incentivo pra manter a escrita em movimento e fatalmente ver o que sai dali. Obrigada pela oportunidade do exercício.

  • j. damião 18/07/2012 at 18:15

    Interrompi a leitura de Clea (último volume de O Quarteto de Alexandria, de Lawrence Durrell) para dar uma passada aqui, conferir os comentários. Pode deixar: quando terminar Durrell começarei a remendar os furos de meu juízo estético e de minhas noções de morfologia equivocadas. Estou de férias mesmo. Até mais ler.

  • Ricardo Fontana Alves 18/07/2012 at 22:56

    Olha, fui citado.

    Agradeço a indicação e, novamente, o parabenizo pela iniciativa. Que todos evoluamos, mesmo que 140 caracteres por vez! Abraço!

    (@masenfim)

  • Leandro Henrique 19/07/2012 at 00:27

    A insatisfação pode ser um meio poderoso para a depuração de quem escreve. Digo, a insatisfação consigo mesmo. Já essa insatisfação com o alheio, essas reivindicações de ‘justiça’, indignações etc… Me lembram aqueles pais que mimam sua prole, que é, claro, a melhor e mais perfeita: ‘Os filhos dos outros não são como os meus!’.
    De minha parte, parabéns a todos que escrevem e não montam seus escritos como a cavalos de corrida.

  • medeyax 19/07/2012 at 09:31

    É, surpreendente! Gostei muitissimo dos textos q vi aqui. Ainda gosto de narrativas com um pouco mais de folego, mas efetivamente, há conteúdo nestes micro-contos.

  • Leo Nunes 19/07/2012 at 11:41

    Muito bom, Sérgio! Não deixarei de participar mais! Adorei a experiência da escrita curta. Começarei a fazer mais isso no meu twitter (@Leo_Nunes_RJ).
    Alguma ideia de quando será o próximo?
    Forte abraço, Leo Nunes.

  • Leo Nunes 19/07/2012 at 11:42

    Sabe se existem outros sites/blogs que fazem concursos do tipo, Sérgio?
    Forte abraço, Leo Nunes.(@Leo_Nunes_RJ).

  • Sherlock 19/07/2012 at 13:11

    olá, Sérgio

    Tinha feito um elenco de 18 microcontos entre os meus favoritos (tive o bom senso de não incluir os meus.. ehe!). Para minha surpresa, somente 1 – da Jane Ciambelli – coincidiu com a sua lista.
    Realmente, não entendo nada desse negócio.
    Mas gostaria de registrar aqui meus parabéns aos vencedores da minha lista, se você me permitir: Dácio Fernandes, George Felicio, Santiago Enges e menção honrosa a Nina.

    • sergiorodrigues 19/07/2012 at 13:37

      Leo, acredito que o próximo, só ano que vem. Deve haver outras iniciativas semelhantes por aí, mas não sei de nenhuma nesse momento.

      Sherlock, subjetividade é isso mesmo. Mas saiba que o seu vencedor, Dácio Fernandes, entrou na minha lista de 50.

      Abraços a todos e obrigado pela participação.

  • Sherlock 19/07/2012 at 13:44

    Achei engraçados os comentários do Damião – especialmente o primeiro, rs (o segundo achei convenientemente boçal – sem ofensa!).
    Pensando bem, acho que o correto seria povo “monoalado” – será?! fica a dúvida (ou não!). Mas dando razão ao nosso amigo, os já parcos 116 caracteres poderiam ser, então, 87. E isso, é claro, não tiraria o brilho da inspiração!
    Abraço.

  • Ataliba 20/07/2012 at 12:07

    a única coisa que fica clara é a queda vertiginosa de qualidade dos microcontos deste concurso em relação ao passado, para veja-se a lista dos 24 melhores. É horrivel

  • Bruno de Melo Cadiz 20/07/2012 at 14:18

    por isso que o Ataliba ganhou né

  • Aline 20/07/2012 at 14:25

    Uia, não ganhei nem uma menção honrosa. Será que eu me daria melhor escrevendo 80 mil palavras ao invés de 140? ;)Concordo com o Leandro Henrique. Pensei em mil maneiras diferentes de reescrever o meu microconto assim que enviei. A minha instisfação por não ter chegado nem perto é só comigo mesma. Uma motivação para melhorar (continuar escrevendo). Mesmo não concordando com todos os citados, meus parabéns!

  • Soraya Felix 26/07/2012 at 15:28

    Foi muito interessante participar deste concurso. Os microcontos são super criativos. Gostaria de publicar o resultado, com os respectivos textos no meu blog Prosa Mágica, falando sobre a iniciativa e sobre esta categoria de contos que a cada dia acontece mais e mais no twitter. Posso publicar com as devidas referências de nomes, seu blog, etc? Obrigada.

    • sergiorodrigues 27/07/2012 at 00:19

      Cara Soraya, fique à vontade. Obrigado por participar e por divulgar o concurso.
      Um abraço.

  • Soraya Felix 28/07/2012 at 18:05
  • João Valdenio silva 28/07/2012 at 19:43

    O texto de Carlos Seabra é uma transcrição literária de um cartum que já vi. Ou seria o contrário???

  • Aline 30/07/2012 at 07:09

    É verdade… O texto do Carlos Seabra não é uma ideia original, mas acho que tá valendo.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial