Jane Austen em versão pornô

10/06/2011

Agora é definitivo: depois de dar a partida na moda dos mashups com o sucesso de “Orgulho e preconceito e zumbis”, que abriu a porta para a invasão dos clássicos da literatura por criaturas pop variadas, de monstros marinhos a robôs steampunk, Jane Austen acaba de se consagrar como a rainha incontestável da reciclagem literária brincalhona-oportunista. A coroação se dará com o lançamento pela editora americana Cleis Press, mês que vem, de Pride and prejudice: hidden lusts (“Orgulho e preconceito: prazeres ocultos”), obra erótica de uma certa Mitzi Szereto.

A julgar pelos clichês “românticos” acumulados na capa, estamos no terreno daquele erotismo prêt-à-porter dos livrinhos de banca de jornal, e portanto distantes do sexo transgressivo de Sade, Bataille e Rèage, embora Szereto insinue no site do livro (que inclui um clipe chinfrim) a inclusão supostamente subversiva de alguns temperos gays. No site somos informados também de que esse é o romance que Jane Austen teria escrito “se tivesse coragem”. O estilo do material de divulgação sugere prazeres mais humorísticos que eróticos:

Em “Orgulho e preconceito: prazeres ocultos”, todo o elenco de personagens do clássico de Austen é flagrado com as calças desabotoadas e as saias levantadas, numa versão recontada que mostra tudo – e um pouco mais! O Sr. Darcy nunca foi mais danadinho, e a aparentemente casta Elizabeth nunca foi mais quente.

Não se sabe se essa Jane Austen devassa venderá tanto quanto a dos zumbis. Mas, caso se abra um novo filão e os editores brasileiros se animem mais uma vez a explorá-lo, aposto que Machado de Assis e Capitu serão os primeiros da fila.

14 Comments

  • Silvio 10/06/2011 at 15:29

    Sérgio, distante do terreno da pornochanchada, uma adaptação da obra-prima da Sra. Austen de que gostei muito foi essa:

    http://www.imdb.com/title/tt0414387/

    Tem algumas mudanças que na minha opinião não comprometeram o resultado. E o visual é absolutamente soberbo.

  • Tibor Moricz 10/06/2011 at 16:16

    Mashups são divertidos. Mas se é para avacalhar, então a avacalhação precisa ser completa. Nada de pecadilhos nem ceninhas levemente picantes. Precisa ter pornografia pesada, subversiva e definitivamente apelativa…rs… pelo menos é o que eu faria.

  • Alexandrina Oliveira 10/06/2011 at 17:15

    complicado vc falar de um livro que não leu, falar de algo que vc julgar que assim seja sem ter certeza. Realmente estamos numa onde mashups, eu mesma tenho razão e sensibilidade e monstros marinhos, mas ainda não me atraiu para que eu o tirasse da estante e fosse ler.

    “erotismo prêt-à-porter dos livrinhos de banca”???? kd esse erotismo nos livros de banca brasileiros?? porque passa é longe, até porque as editoras brasileiras são umas “pudicas” que contar ou suavizam as cenas de sexo, sinceramente não sei porque, é só sexo. Alowww as pessoas fazem sexo. Enfim, mas isso é outro assunto.

    Não sou lá grande fã os mashups porque parece que as pessoas não tem mais criatividade e precisam recorrer a um obra pronta e adaptá-la dando os devidos requintes de comédia ou aqui no caso de eroticidade, isso para mim fica por conta das fanfictions.

  • Valentim Negrellos 10/06/2011 at 17:21

    Nesta mesma linha “O Cortiço” poderia ser publicado na versão original. Poderia se chamar “O Cortiço – uncut” ou outro título idiota qualquer.

  • Bruna 10/06/2011 at 17:38

    Er… desde quando erotismo é sinônimo de pornografia? Procure no dicionário antes de vir colocar um título desses, ah… sem ter lido o livro ainda por cima… =)Nem todo mash up é erótico como o Tibor citou, e nem todo erótico é pornografico. Cuidado na hora de escrever uma coisa assim.

    Bruna, que comentário bola fora, hein? Eu não preciso consultar dicionários porque os escrevo, hehe. Olha só: erotismo é o que autora acha que fez, pornografia é botar a Jane Austen no meio disso. E atenção: isso aqui não é uma resenha, é notícia, dispensa a leitura do livro. Que, aliás, ainda não foi publicado.

  • Bruna 10/06/2011 at 23:24

    Nossa, pornografia é botar a Jane Austen no meio? =O Aí é questão de visão, (sua) opinião, não de fato… E continua soando confuso, não dá para entender se o livro é pornografico, erotico ou no estilo de banca, pq quem realmente conhece sabe que são 3 linhas diferentes.

  • Bruna 10/06/2011 at 23:29

    Alexandrina (olha vc aqui kkk) concordo com vc. Ter novela com todo mundo se pegando pode, o povo adora, fala, discute, todo mundo assiste. Sai um livro de banca com umas cenas de beijos,… nossa, vira erotismo ou pornografia…

  • clara lopez 11/06/2011 at 00:06

    Eca, não há limites para a baixaria que venda muito, de preferência, tudo pode ser manipulado e diluído e se tornar lixo à exaustão. Cansaço desses tempos nesses terrenos,
    abraço, clara

  • Anouk 11/06/2011 at 08:47

    Oi Sérgio,
    Histórias sobre a devassidao sexual é um caminho literário muito perigoso. Prefiro os relatos amorosos de um Orhan Pamuk.

  • Raquel 11/06/2011 at 09:19

    Sérgio,

    alguns livros, poucos, diga-se de passagem são de fato homenagens à Jane Austen. Mas esses são somente caça-níqueis. O poeta Ivo Barroso, tradutor de Jane Austen (Razão e sentimento e Emma) que ficado indignado com esses livros.

  • Afonso 11/06/2011 at 20:46

    Oportunismo à parte (e outros conceitos também), além da aposta em Capitu, quem “dá” mais, quer dizer, quais seriam outras sugestões…? rs

  • Ernani Ssó 12/06/2011 at 08:35

    Ah, Ceci e Peri…

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial