Livros no iPad? Prefiro não

28/01/2010

ipad_a_phoneO iPad, tablete da Apple anunciado ontem, está apanhando mais que o Cristo do Mel Gibson na comunidade geek. Sem multitarefa e sem entrada USB, acusam-no basicamente de ser só um iPhone gigante que, para piorar, não faz fotos e nem telefone é. Para o que vem ao caso aqui – a leitura de livros digitais – não se pode negar que é interessante o esforço investido na criação da iBookstore, a associação com grandes editoras e tal. O amadurecimento de um mercado em que absolutamente tudo está se definindo neste momento agradece. O probleminha chato é que, vamos falar sério, sem uma tela de tinta eletrônica (aquilo que o TechEBlog, na brincadeira acima, chama de matte screen, “tela fosca” – valeu, Polza!) não dá nem para se inscrever no páreo contra Kindle, Sony e similares. No meu modo de entender os leitores eletrônicos, o iPad é simplesmente outra coisa, habita outra categoria – no caso específico da leitura de fôlego, uma categoria inferior. Talvez seja mesmo o aparelho perfeito para passar os olhos em jornais e revistas à mesa do café da manhã, certo, mas livros? Nada disso significa que a possibilidade de um sucesso comercial deva ser descartada: hype é hype, e com certeza o pessoal da Amazon está roendo as unhas. Significa apenas que eu não me vejo trocando meu Kindle – ou meu laptop, por falar nisso – por essa bonita engenhoca que Steve Jobs chama de “mágica”.

61 Comments

  • Tibor Moricz 28/01/2010 at 13:32

    Ah, se me derem um, terão meu infinito agradecimento.

  • Elton 28/01/2010 at 13:56

    Vale o ditado de que mexeram tanto até furar os olhos do santo. O leitor tem que ser simples, porra. Encher de distrações e firulas pra que? Odeio esse mundo geek e essas pessoas que querem os melhores meios pros fins mais medíocres. Eita mundo cansativo…

    • Renato AR 28/01/2010 at 16:02

      Engraçado vc falar isso, pq antes de lançarem o Kindle, ninguém acreditaria q um aparelho monocromático iria substituir a experiencia de ler um livro de papel.

    • Elton 28/01/2010 at 20:54

      Ninguém? Todo mundo sabia ou imaginava que o livro migraria para o meio digital. Só faltava a tecnologia de uma tela não agressiva aos olhos num tamanho e peso que permitissem a portabilidade. Então surgiu o kindle, com e-ink. Então surgiu o IPad, sem e-ink. Quero que o Steve Jobs vá pro espaço com seus gadgets hypados.

  • gilvas 28/01/2010 at 14:14

    obviamente terá uma fila de néscios e deslumbrados adoradores de steve jobs lutando para ter seu aparelhinho na coleção de gadgets de maçãzinha, mesmo sem saber para que serve, mesmo sem ler nada que preste. vai contra tudo que um bom livro costuma ser: relevante e atemporal.

    • Xulezenta 28/01/2010 at 16:57

      Babei aqui, de verdade.

      Se quem aqui tá desfazendo não por pura inveja mas por estar realmente em posição de abrir mão de um, pleasee aceito o donativo.

      Achei lindo, acho o maximo poder regular o tamanho da fonte, acho HIGIENICO, tá certo qeu bibliotecas tem todo um charme os livros, velhinhos, folheados por trocentas pessoas, mas no País campeão de hanseníase eu quero um simmmm

      Adoro ler, achei o máximo inserir possibilidade de leituras dentro desse mundinho nerd tão carente de reflexões que os livros nos trazem, vou adorar comprar muitos livros digitais e não assistir meus amigos sacanas me pedindo emprestado e nunca devolvendo.

      Perfeito, lindo, maravilhoso, higiênico, charmoso.
      Molhei.
      Verdade

      Xulezenta.

  • Andre 28/01/2010 at 14:20

    Concordo, acho que o “Iphonão” aí do Steve Jobes deveria ser mais levado para uma área de concorrencia contra NetBooks, deveria contar com mais memória e processamento, pra galera da Tec Curtir, e não pra leitores experiêntes que segundo meu ponto de vista, “ainda preferem os bons e velhos Book’s!.

    Hehehehe, como no post anterior, a pedra valeria mais a pena mesmo!

    hahahaha

  • dan 28/01/2010 at 14:27

    Caros companheiros…
    não sei se vcs viram oq o Steve Jobs falou sobre o iPad…
    ele simplismente disse q esse projeto será a coisa mais importante q ele já fez…
    o cara q mudou a maneira do planeta de se escutar musica fala uma coisa dessas, eh bom vcs pensarem 2 vezes antes de criticarem…

    • Junes 28/01/2010 at 16:15

      grande m.erda!

  • Rafaela Gimenes 28/01/2010 at 14:30

    Idade da pedra, sou totalmente a favor. :) Prefiro aquelas coisinhas que ocupam espaço e têm páginas. :~

  • Evaristo 28/01/2010 at 14:42

    Bem, não dá para quantificar.. mas tudo tem sua utilidade. Contudo, após a invenção de Guttemberg…tudo tem seu tempo e espaço. Talvez não seja agora…

  • steven 28/01/2010 at 14:44

    eu quero um IPAD com certeza, para que fazer resistencia?? a tecnologia tah ai, todo mundo um dia irá usar, é mais pratico, sem falar que diminuiria o uso de papel dos livros e jornais que alem disso ocupam muito espaço!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    o ipad e o livro eletronico são excelentes invenções que visam a praticidade e a preservaçam ambiental

    pensem nisso!!!!!!!!!!!!!!!

  • Rejane 28/01/2010 at 14:44

    Acradito que tudo ainda esta se definindo quando falamos sobre mobiles e essa nova ferramenta desenvolvida pela Apple é apenas o começo de muitas coisas maiores, afinal tudo esta se desenvolvendo rapido demais e para quem a 10 anos atras acessava a internet discada, ver toda essa evolução é simplesmente o maximo. E mesmo com tudo isso em evidencia tbm nao largo a mão dos livros, mas acho de grande valia para o desenvolvimento da nossa sociedade…bjs

  • Ana 28/01/2010 at 14:45

    Eu também sinto que terei dificuldade em me adaptar, toda a minha geração, prefiro o cheiro da tinta, mas acredito que meus filhos irão preferí-lo.
    Acho que estamos no início de uma mudança de hábitos que levará algumas décadas para se consolidar.

  • ana maria 28/01/2010 at 15:06

    Achei massa… Se alguem quizer me dar um presente…

    • Jão Jones 28/01/2010 at 15:09

      Vocês precisam antes de tudo de um bom dicionário.. pelo amor!

  • maria 28/01/2010 at 15:08

    Chega daqueles livros velhos e com cheiro de mofo… quem vive de passado é museu.. temos que acompanhar a evolução do mundo… o ipad e o livro eletronico são excelentes… queria muito um…

  • lastikas 28/01/2010 at 15:24

    A Apple é tão ridícula quando a Microsoft. E o pior é que se você fala isso alto algum xiita fica nervoso. Eles tem designs magníficos, isso não se pode negar, mas quando se trata de oferecer recursos…. deixa na mão.

  • Uildon Dido 28/01/2010 at 15:29

    Tu anda na contra mão do progresso?
    Tu até pode não ler…
    Mas, sempre haverá alguém interessado
    E não vai ser por conta da tua opinião, q a venda deste modelo vai ser um fracasso..
    Quem sabe nessa estrada rumo a velharia do passado nos encontramos numa carroça puxada a boi, lendo algum “folhetim fuleiro…” rs
    A propósito;
    Visita meu Blog… se precisar andar pelas ruas de São Paulo e não tiver um barco… ele pode te ajudar a não ser carregado para as profundezas de um esgoto ou cratera contemporânea.

    E tenho dito…
    Difausto

  • Godoy 28/01/2010 at 15:38

    Cês tupiniquins nem banda larga decente tem, querem falar o que?

  • Sérgio Rodrigues 28/01/2010 at 15:43

    Tá difícil, hein? Peço sua atenção, leitores de chamada que pulam o post e vêm direto pros comentários: este blogueiro não é viciado em cheiro de tinta e vive muito feliz com seu Kindle (e sua biblioteca analógica também). Apenas tem a mania de descrer da divindade de Steve Jobs.

  • braga 28/01/2010 at 15:43

    gusfrabraaaaaaaaaaaaaaaaaa

  • Flávio 28/01/2010 at 15:49

    Pergunta para a Amazon, ela vendeu, no final do ano, mais livros virtuais que de papéis.. Parece ser uma tendência….

  • Sérgio Rodrigues 28/01/2010 at 15:54

    Não, Flávio, você não entendeu. O leitor digital da Amazon, chamado Kindle, NÃO TEM uma tela luminosa. Este é justamente o ponto do meu post, que talvez você não tenha lido. Recomendo.

  • Rafael 28/01/2010 at 15:55

    Estranho… Ninguém da turma do nariz está presente!

  • Fernando Carneiro 28/01/2010 at 16:14

    Eu hein?! Nao estou entendendo pra que tanta tempestade, nao é necessário que algum texto seja físico ou virtual, o que importa é o conteúdo..
    Quanto ao brinquedinho da maça, é só isso que ele é, um briquedinho, que poderia ser melhor, mais completo, e o Steve, para ser o que é, sabe disso, mas ele deve ter um bom motivo ($$) para que nao seja.
    Até

  • biquira 28/01/2010 at 16:16

    bom pra esticar uma em cima.

  • Narciso Reinato 28/01/2010 at 16:18

    Acredito que com o tempo as pessoas podem aderir a isso, porém o preço no brasil é proibitivo e também existe uma dificuldade de títulos. Sempre buscamos alternativas que sejam salutáveis para os problemas existentes, mas sinceridade, existe a necessidade de aperfeiçoarmos tantas coisas, tantas tecnologias que não funcionam, não vejo motivos no momento de uma “geringonça” dessas.
    Além é claro de você, após compra isso da Apple se tornar um escravo, no sentido de que os Gads só funcionam na plataforma, site, aplicativos..enfim, ou é deles, ou é de ninguém….pensem!!!

  • João Paulo 28/01/2010 at 16:19

    Ler em tela de computador, notebook, Ipod, Ipad e etc… é um porre!

  • Luiz Roberto Soares 28/01/2010 at 16:19

    Eu prefiro IPad !

  • Narciso Reinato 28/01/2010 at 16:20

    Verdade, para esticar uma é perfeito, já vem aquecido…rs

  • Tibor Moricz 28/01/2010 at 16:20

    Eu prefiro ainda o iBook.

  • Rafael 28/01/2010 at 16:29

    Acho que esse iPad vai ser um fracasso comercial……

  • Sérgio 28/01/2010 at 16:42

    Não liguem pras supostas desvantagens.

    Ano que vem o Steve Jesus Jobs aparece no palco novamente deixando todos maravilhados com o novo iPad 2.0, “agora com USB e multitarefas! é impossível continuar vivendo sem um!”.

  • Xulezenta 28/01/2010 at 16:45

    Babei aqui, de verdade.

    Se quem aqui tá desfazendo não por pura inveja mas por estar realmente em posição de abrir mão de um, pleasee aceito o donativo.

    Achei lindo, acho o maximo poder regular o tamanho da fonte, acho HIGIENICO, tá certo qeu bibliotecas tem todo um charme os livros, velhinhos, folheados por trocentas pessoas, mas no País campeão de hanseníase eu quero um simmmm

    Adoro ler, achei o máximo inserir possibilidade de leituras dentro desse mundinho nerd tão carente de reflexões que os livros nos trazem, vou adorar comprar muitos livros digitais e não assistir meus amigos sacanas me pedindo emprestado e nunca devolvendo.

    Perfeito, lindo, maravilhoso, higiênico, charmoso.
    Molhei.

    Xulezenta.

    • fran 28/01/2010 at 17:10

      Vá estudar, ignorante. Hanseníase não é transmissível através do toque.

    • Xulezenta 28/01/2010 at 20:32

      Sim Fran estudar é tudo que eu quero. 😛

      Pode me dar um Ipad se estas podendo desprezar mesmo, assim não folhearei paginas com fungos e outras perebas, liberarei uma parede e uma prateleira em casa, e não terei pedidos de amigos para que eu empreste livros.

      Estudar com o Ipad é tudo que eu estou dizendo que quero!!

      Concordamos XD

      Só que acho que mesmo não entendendo muito de contágios…já estou um pouco mais educadinha do que tu…

      :)

  • Marcelo ac 28/01/2010 at 16:47

    O que eu gostei mesmo foi do slogam do Sérgio!! Imperdível esse iPad.

  • Marcio Andre Santanna 28/01/2010 at 17:17

    E o preço? R$ 900,00. Duvido que chegue ao Brasil a esse preço, com impostos dos mais altos do mundo. Sem falar que não dá pra popularizar produtos Apple às camadas sociais menos abastadas, como o pc, devido seu preço alto e escassez de aplicativos, jogos, etc.

  • Bruno 28/01/2010 at 17:18

    ” NÃO DOU 6 MESES DE VIDA PARA ESSA ENGENHOCA !
    NINGUÉM VAI DAR CONTA DE FICAR SENTADO EM UMA CADEIRA OLHANDO PARA UM CAIXOTE DE MADEIRA ! ”

    De um diretor da Metro Goldwimayer falando da vida curta que teria a televisão recem inaugurada nos EUA.

    Muita gente vai ler livros nessa engenhoca chamada IPAD.

  • borsssoi 28/01/2010 at 17:27

    Pows, o negócio veio pra ser um mini computador, muito melhor que qualquer netbook por aí. E ainda querem que seja telefone? Desse tamanho? Povo retardado…

  • Bruno 28/01/2010 at 17:36

    Sabe o q mais me espanta em ler determinadas opnioes (Inospitas), julgo eu, é a capacidade do ser humano de julgar algo sem ao menos conhece lo, só para lembra quando o iPhone foi lançado falaram a mesma coisa” haaa q isso a Apple esta caducando… Essa porcaria não tem flash, o navegador é uma droga, a câmera é medíocre …..” Entretanto aí esta o iPhone recorde de venda, sem contar q revolucionou a telefonia movel do mundo…. Para q um smartphone ao menos chegasse perto do q é o iPhone hoje demorou exatos 3 anos e ainda sim falta muiiito para ser um iPhone kk bom espero q os críticos extremistas reavaliem seus comentários antes de pre julgarem o iPad! É isso!!

  • caroll 28/01/2010 at 17:38

    Concordo com um comentário acima “Ler em tela de computador, notebook, Ipod, Ipad e etc… é um porre!”

    Para mim é algo necessário muitas vezes. Mas, prefiro um bom livro a uma tela luminosa, com certeza!

    Concordo também que os preços no Brasil dessas novas tecnologias são abusivos, e temos que pensar bem em adquirí-los. Algumas vezes vale a pena ter um aparelho de versão mais antiga. Independente de qualquer coisa, devemos sempre pesquisar sobre a utilidade dos aparelhos, algumas vezes também eles nem são isso tudo que a mídia fala e outros mais baratos podem nos satisfazer igualmente.

  • Chico Sal 28/01/2010 at 17:46

    NÃO É UM PRODUTO PARA MALOQUEIRO, ANALFABETO….

  • Marcos 28/01/2010 at 17:55

    Povo passa O DIA na frente do computador lendo e vem dizer que não dá pra ler um livro numa tela, deitadão na rede. Falô.

    • Xulezenta 28/01/2010 at 20:34

      Verdade, lol

  • Fernando Lobo Vianna 28/01/2010 at 18:38

    Mais uma vez o Sr. jobs quer faturar muito com base na distribuição de conteúdo pago, se juntando aos autores ou aos detentores dos direitos autorais. Este é o trunfo que ele quer repetir, como já fez com a música. Graças a deus ele não pode fazer isto com remédios e patentes, que após 20 anos perdem mais esta mazela que atinge nossas sociedades, que é o direito autoral perpétuo.

  • pedro curiango 28/01/2010 at 19:54

    Hoje mesmo, li num blog espanhol, “La Tienda de LD,” dedicado ao livro eletrônico, uma nota escrita por Carmelo Jordá sobre o iPad:
    “Pero más importante todavía me parece lo que puede significar el iPad para la prensa, lo diré de la forma más clara posible: ahora sí que el papel está muerto y en trance de ser enterrado. Si el dispositivo de Apple (y los que lo seguirán) acaba con la gran ventaja que hasta ahora tenía el papel, la portabilidad absoluta, y mantiene las muchas que tiene internet (actualización al minuto, vídeo, sonido, interactividad…), la única baza para el viejo periódico será el romanticismo, y eso es, por lo general, algo que no mantiene por sí sólo un modelo de negocio.
    En definitiva, el iPad puede convertirse en la herramienta definitiva para que prácticamente toda nuestras relaciones con la información y la cultura (en sus múltiples formas) sean digitales. No sé si cambia el mundo, pero desde luego puede ser el inicio del fin de ese cambio que se llama internet y que en los últimos quince años ha hecho el mundo radicalmente diferente, casi sin que nos hayamos dado cuenta. “

    NB – Neste trecho, Jordá fala de “periódico” mas, no contexto, isto se refere também ao livro.

  • C. S. Soares 28/01/2010 at 20:32

    O “toque de midas” de Steve Jobs não deve ser substimado. Quem assistiu a apresentação deve ter compreendido o recado: os 250 Milhões de iPods vendidos, redefiniram a forma como consumimos música; o iPhone praticamente reinventou o telefone; a App Store, em 18 meses, oferece 140.000 aplicações e registra 3 Bi downloads. A Apple, uma empresa de US$ 50 Bi, cujos principais produtos são mobile (iPod, iPhone e laptops), é a maior companhia de dispositvos moveis do mundo. Maior do que a Sony, Sansung e Nokia. Além disso, a leitura, cada vez mais, será um processo acessorado por software. É aqui que a Apple, certamente, fará a diferença.

  • Isabel Pinheiro 28/01/2010 at 21:21

    Sérgio, na boa, tenho até MEDO de posts seus que passam dos 10 comentários… :-) Mas, pra me manter no assunto: pelo que li até agora, concordo com você. Sem tela fosca, difícil acreditar que o iPad dê jogo. (E, por falar em jogo, pra que jogo em livro?)

  • Elton 28/01/2010 at 21:28

    50 comentários, a maioria de gente que claramente não leu o post nem conhece o blog? Deu capa do Ig na cabeça!

    As pessoas estão falando do IPad como se ele estivesse fundando o mercado de e-readers. Tá na cara que é gente que assina a newsletter “quinquilharias digitais” e não a “novidades do mundo literário” pois quem acompanha essa última já está até de saco cheio do debate sobre Kindles e derivados. E nesse debate o Ipad chegou atrasado e em desvantagem. Não tem, portanto, como revolucionar o que já estava revolucionado. No fim, como disse o Sérgio, o ipad vai se limitar ao mundo das leituras rápidas… que infelizmente é muito maior que o das lentas. E com a chancela maçãzinha, sucesso de vendas à vista. Só não serve pra livros.

  • Tibor Moricz 29/01/2010 at 10:04

    Apresento-lhes o iBook.
    http://esooutroblogue.wordpress.com/

  • C. S. Soares 29/01/2010 at 10:22

    Eu tenho (quer dizer meu filho tem) um MacBook e a leitura na tela desse “Apple” não me cansa a vista. Passo algumas horas lá, depois volto para o meu PC, por questões profissionais.

    Estamos tão acostumados ao modelo do livro impresso, definido por alguém lá no passado e, hoje, aceito por muitos, acomodadamente, como definitivo, que não paramos para pensar que o livro baseado em software é muito melhor, a começar pelo fato de ser personalizável.

    Nos computadores que rodam Windows, sabemos, todos os elementos das janelas são configuráveis. Se não estou satisfeito com o fundo branco do Word, posso mudar para cinza claro, ou azul escuro e letras brancas, etc. Se uma página web, ou um ebook, não oferecer este recurso (baseado em software), certamente, logo passará a oferecer. É questão de software, não de hardware.

    Aliás, é importante lembrar que qualquer um pode ter instalado em seu PC os leitores da Amazon, Barnes & Nobel, ebooks.com, etc. Se o livro estiver no formato ePub (o que o iPad usará), eu indico o Adobe Digital Editions. Assim, além de poder comprar os livros nas lojas on-line, ainda se poderá acessar milhares de livros digitalizados no Project Gutenberg, Internet Archive, Google Books etc.

    Outra coisa que impulsionará o iPad é o fato de que ele é um produto moderno e, certamente, capturará a atenção dos mais jovens. E depois dos mais velhos, ou alguém aqui ainda usa walkman?

    E vocês escutaram falar do InkPoP.com (da HapperCollins, para variar…)? Não é apenas a forma como lemos que está mudando…

    O que sinceramente não acredito é o livro permaneça (só porque nossa geração assim se acostumou) fora da convergência de midias que vivenciamos em nossos tempos.

  • Marcelo gomes 29/01/2010 at 13:13

    Tenho iPhone 3gs adoro este aparelho. Os gadgets da Apple são fantásticos. Ipad provável mais um sucesso mas no Brasil chega lá pra 2011, pena ate lá já teremos…..outra tecnologia…que pena Brasil

  • Mr. WRITER 01/02/2010 at 19:36

    Um lixo… primeiro porque precisa de adaptador para conectar com dispositivos USB…

    Mas perái? O U de USB não é U de UNIVERSAL?

    Como assim adptador para algo UNIVERSAL?
    Ou alguém é muito burro ou alguém nesse projeto esqueceu alguma coisa.

  • luiz paulo 03/02/2010 at 10:56

    devia fazer uma campanha para que se estimula-se a compra mais livros com preços acessiveis e não uma campanha em massa em torno do iPAD que acho não ira vingar.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial