Mais uma curiosidade etimológica: Testa

21/12/2009

Do latim testa, vaso de barro cozido, a testa é uma urna de argila. A testa é uma talha para vinho – apropriada, esta. A testa é também tijolo, ladrilho, telha, ou seja, a casca, o casco, a crosta. A escama. A carapaça, eis a testa.

A concha.

Lá dentro da concha-testa, o bicho dorme. Acorda, bicho-da-testa.

Segunda-feira é fogo.

Publicado no “NoMínimo” em 9/4/2007, que também caiu numa segunda-feira.

7 Comments

  • kylderi 21/12/2009 at 16:43

    E a última sobre o Rubem Fonseca? Saiu na Bravo! ,mas só soube pela Veja: ele foi funcionário de um órgão de sustentação ideológica à ditadura, e há um trabalho acadêmico sobre o verdadeiro Mandrake fonsequiano. Faltou à seção etimológica a acepção testa-de-ferro.

  • Sérgio Rodrigues 21/12/2009 at 17:04

    Caro Kylderi, você está falando do IPES? Rapaz, essa notícia é muito velha.

  • Rosângela 21/12/2009 at 17:11

    De dentro da concha a ferida é testada.
    E se é barro, passa no teste.

  • Rosângela 21/12/2009 at 17:13

    Amo este “A Palavra é…”

  • kylderi 21/12/2009 at 20:05

    É, Sérgio, realmente, é da década de 60 ou 70.

  • Daniel 22/12/2009 at 09:59

    Atesto que foi um bom teste!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial