Os melhores filmes da literatura

02/06/2006

Listas, listas, listas. Quem resiste a elas?

A última vem de uma consulta aos leitores feita pelo jornal inglês “The Guardian” e entra na boa discussão sobre o que faz uma obra literária funcionar – ou não funcionar – quando transposta para o cinema. O jornal quis saber quais são os melhores filmes da história adaptados da literatura.

Vale a pena visitar a lista completa (em inglês), que tem 50 filmes. Vão aqui os cinco primeiros e seus diretores, com o nome do escritor entre parênteses:

1. “O sol é para todos”, de Robert Mulligan (Harper Lee)
2. “Um estranho no ninho”, de Milos Forman (Ken Kesey)
3. “Blade Runner”, de Ridley Scott (Philip K. Dick)
4. “O poderoso chefão”, de Francis Ford Coppola (Mario Puzo)
5. “Vestígios do dia”, de James Ivory (Kazuo Ishiguro).

16 Comments

  • Martina 02/06/2006 at 12:33

    E Harry Potter, conta como literatura? É uma excelente adaptação.

  • Zé Bush 02/06/2006 at 14:47

    well,Martina,sweet heart…….Harry Porter não é literatura, no sentido pleno do termo.
    Trata-se de ‘literatice”, tipo de modismo aplicado a um formato e direcionado a um determinado público.
    Ligações Perigosas me parece um dos melhores,sendo bem fiel ao livro.

  • leonel de souza 02/06/2006 at 15:19

    O poderoso chefão é um filme fantástico, uma obra prima.

  • Zédobrejo 02/06/2006 at 15:35

    Olha o “Dia do chacal”, o filme da década de 1973 é uma boa adaptação do romance de Frederick Forsyth.
    p.s: Não estou falando daquela “aberração” que foi o filme “o Chacal” com Richard Gere e Bruce Willis.

  • anraphel 02/06/2006 at 15:37

    Coppola pegou o que seria mais um best-seller de aeroporto e transformou no maior filme da história do cinema.

  • joao gomes 02/06/2006 at 15:38

    o pagador de promessas

  • Shirlei Horta 02/06/2006 at 16:36

    O problema é que essas listas são o top da idiotia, só consideram o cinema hollywoodiano, o palatável, os best sellers. Os cinéfilos conhecem Cinzas e diamantes, do Wajda, mas quem já leu o romance de mesmo nome do Jerzy Andrzejewski? Ninguém, né? Pois eu voto nesse. Doutor Jivago, que nem é o melhor dos filmes, mas ficou famoso por suas paisagens belíssimas, pelos atores, pela trilha sonora, me fez a extrema gentileza de motivar a leitura do livro – um catatau em que a história romântica entre Lara e Yuri Jivago é só um fio condutor do relato da revolução russa.

  • daniel 02/06/2006 at 16:43

    Que lista horrorosa.

    O Coppola não merecia essa companhia ruim.

  • leonel de souza 02/06/2006 at 16:51

    E o filme o vento levou? Eu até chorei no final…………..

  • Flávio 02/06/2006 at 17:11

    meio furada essa lista, pois não cita O Senhor dos Anéis e inclui The Talented Mr. Ripley, mas a adaptação de Antony Minghella, e não a anterior, que é superior

  • Voltairine 02/06/2006 at 17:29

    Cruz credo o que este pessoal anda lendo por aqui! Dr Jivago, E o vento levou. Nossa!
    Flavio a primeira adaptancao teve no Brasil o otimo titulo de o Sol Por Testemunha, mas eu nao estou muito certa se a atuacao de Alain Delon, nao foi um tantinho pior que a usual!

  • Black Jack 02/06/2006 at 19:52

    Uma boa pedida seria “Cidade de Deus”, não? O livro é um calhamau intimidador, mas o filme é a maior obra do cinema brasileiro, limpando a bunda com todos os outros roteiros que já foram escritos neste país. Desafio alguém a citar um filme nacional que chegue aos pés de CDD.

  • Shirlei Horta 03/06/2006 at 22:09

    Voltairine, se você ler Dr. Jivago vai gostar muito. A não ser que não goste de romances históricos.

  • Voltairine 05/06/2006 at 09:45

    Gosto Shirlei, ate ja escrevi dois, ambos publicados e disponiveis no mercado. Mas acho o Dr Jivago um tantinho meloso de mais pro meu gosto. Eu teria feito um Jivago menos bozinho e uma Lara um pouco mais oportunista

  • Marcelo Moutinho 05/06/2006 at 12:15

    “Vestígios do Dia” é uam beleza. E foi o caminho através do qual descobri esse grande autor que é o Kazuo Ishiguro. O livro mais recente dele, “Não me abandone jamais”, é uma beleza!

  • Voltairine 05/06/2006 at 12:20

    Concordo marcelo, Ishiguro tem um texto “agridoce” maravilhoso.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial