Paulo Coelho esquenta a Sibéria

27/05/2006

Nós já sabíamos que (Paulo) Coelho é popular. Suas histórias de busca espiritual venderam tanto no mundo inteiro que os números que costumam ser citados nos jornais (70, 80, 90 milhões?) fazem pouca diferença. Sua tradução é facilitada pelo uso rudimentar, ao modo das parábolas, que Coelho faz da linguagem. Mas mesmo ele e seus editores e divulgadores parecem ter sido apanhados de surpresa pelo entusiasmo despertado nas estepes.

John Mullan escreveu no Guardian (em inglês, acesso livre), sem disfarçar o queixo caído, sobre a inacreditável recepção que as mais remotas cidadezinhas da Sibéria estão proporcionando ao escritor brasileiro, cercado por uma multidão sempre que desce de seus dois vagões particulares no expresso Transiberiano – modo de viajar que Mullan compara ao de um “monarca do século XIX”. A imagem procede: Paulo Coelho viaja com uma equipe numerosa que inclui dois chefs internacionais, embora só se refira à aventura como “peregrinação”.

Sei não, mas a imprensa brasileira parece ter engolido uma mosca gigante.

38 Comments

  • Shirlei Horta 27/05/2006 at 01:49

    Escritos de quinta, marketing de primeira. Verdade que a venda monumental precedeu o marketing atual. Não tenho inveja dele, acho que merece o que tem, está dando ao público o que o público quer. O problema é inverso: como pode-se querer tão pouco, saciar-se com bobagens que não se sustentam nem por um minuto? Não sei.

  • Injuriado 27/05/2006 at 04:48

    A Shirlei é injuriada… e bem espertinha tb! 😉
    Faço de suas as minhas palavras ( se Mademoiselle assim permitir…)

  • Peter Blake 27/05/2006 at 08:16

    Que história maravilhosa e que reportagem sensacional essa viagem daria nas mãos de um Tutty Vasquez, por exemplo. O duro é que não existe no Brasil um veículo para fazer uma matéria como a que o Guardian “quase-ensaiou”. O único veículo que mandaria um reporter para acompanhar o PC na viagem seria “Caras”, com os resultados imaginados e imagináveis.

    Proponho uma “vaquinha” para mandar o Tutty para a Sibéria (no bom sentido). Depois rachamos os lucros do livro.

  • osmar bassi 27/05/2006 at 10:42

    quando vejo que muitos estão lendo o mesmo livro só percebo uma coisa: todos tem um título atraente. Quando isso acontece evito sei que não devo comprar.

  • ismenia 27/05/2006 at 11:22

    não acho nada demais, o Paulo coelho ser elogiado, os livros são simçles mas uma leitura agradevel, e as criticas são diretosque temos, mas não devemos esquecer que tem muita literatura estrangeira que é bem pior , e o Brasil absorve.

  • Mario 27/05/2006 at 11:32

    Certo estava o velho Ruy: “De tanto ver triunfarem…”

  • Rafael Rodrigues 27/05/2006 at 11:42

    Sérgio, a frase de Groucho Marx faz referência a algum livro específico? Qual?

  • Jose Moutinho 27/05/2006 at 11:45

    Não tenho pretensão de ser critico, e talvez não tenha capacidade para tanto. Porém os livros que tive oportunidade de ler, me foi de muita ajuda, no mínimo melhorou meu vocabulário e ocupou meu tempo!!! Pessoal vamos parar com esta bobagem e vamos aplaudir quem com muito trabalho, alcançou o patamar com seu próprio esforço, talvez possamos aprender um pouco com ele, no mínimo que a persistência é a mãe da prosperidade como já dizia meu querido Padrasto.

  • MagoPAZ 27/05/2006 at 12:22

    O conhecimento só surge de forma intensa se explorarmos ao máximo as possibilidades. várias invenções surgiram por acaso, e hoje salvam muitas vidas e amenizam a jornada dos seres humanos na terra. Imagine a utilização de uma filosofia de vida por todos os seres humanos que afaste tão somente a ganância e o ódio, proporcionaria um grau de evolução tão grande, que imediatamente melhoraria as condições econômicas e sociais da sociedade humana. Bem aventurados os homens de boa vontade.

  • Kleber 27/05/2006 at 12:57

    Reforço a pergunta do Rafael Rodrigues… Ri muito com essa frase…rs.

  • Leticia Braun 27/05/2006 at 13:06

    Os livros que falam de coisas palatáveis, bonitinhas, esotéricas, visando o aperfeiçoamento do ser humano em sua longa caminhada de auto-ajuda, crescem em tiragem e em leitores na mesma medida em que a população mundial vai ficando cada vez mais bárbara. Um dia, me vi obrigada a ler um livro desses, “A profecia não-sei-do-quê”, pois tenho muito apreço pela pessoa que me emprestou e achei que seria grosseria recusar. Bufando, li. Até o final: Repórter americano ouve falar de uns escritos que o levam até um buraco na floresta Amazônica, onde ele deve seguir os passos de umas pedras que no final mostram a ele todo o segredo do mundo. No meio do caminho, ele tem um caso com outra jornalista (americana, é claro) que ele encontra naquele fim de mundo, procurando o mesmo mistério.
    Um carimbão básico. Jurei pra mim mesmo que a partir de então recusaria, com as palavras mais doces possíveis, ler esse tipo de coisa.

  • Edson 27/05/2006 at 13:21

    Um colunista desta página – o Conti – certa vez escreveu sobre Jack London e seus livros que falavam de pessoas sofridas mas solidárias na pobreza. Dizia que London usou o que ganhou escrevendo livros sendo solidário com o outro, isso lhe teria inclusive, deixado sem dinheiro. Coisas de uma alma generosa. Quem sabe o PC não chegará a esse “nível de iluminação”? Quem sabe, de repente, não se tornará a generosidade em pessoa e, assim, “Está escrito”!, porá em prática seus ensinamentos… A não ser, é claro, que para o outro, valha apenas a “Iluminação” da alma!

  • RogerUR 27/05/2006 at 13:41

    Não tirando a razão de todos os que falam contra o “Paulo C.”, mas vendo sobre o aspecto do benefício e da alegria que as pessoas demonstram ter recebido com os livros dele, e por achar melhor ter esperança e buscar “coisas boas” do que procurar atingir um nivel intelectual superior numa leitura, daí eu repenso na função de um livro , educar somente ou trazer também alegria e esperança para pessoas pelo mundo que têm e terão tão pouco em suas vidas. Por isso eu
    aplaudo o Paulo C. e por ser nosso também!

  • Márcio Alves 27/05/2006 at 14:45

    Sem entrar no mérito qualitativo do escritor, brasileiro, acho incrível tanto repúdio e menosprezo pelo trabalho deste cidadão. Quem vê de fora, deve pensar que o povo brasileiro é bastante assíduo em leitura, além não orgulha-se de ver um compatriota em tão boa evidência no mundo. E logo em literatura…

  • Mônica Gomes 27/05/2006 at 15:04

    Na minha singela opiniao essa de não li e não gostei é a forma mais fácil para um ignorante no sentido literal da palavra querer fazer uma crítica a PC.O fato do PC ter descoberto uma maneira popular de atingir a massa deveria ser vista com bons olhos pois nenhum autor brasileiro fez o público se interessar tanto por livros e isso por si só já merecia um prêmio…e seus livros tem mensagens maravcilhosas as quais deixariam no mínimo a vida desses críticos bem mais harmoniosa e cheia de amor…bjos Mô…

  • Adilson 27/05/2006 at 15:42

    Na minha opinião, teríamos que ter orgulho por termos escritores de sucesso como Paulo Coelho. E ele somente está colhendo os frutos que plantou com tanto trabalho e dedicação, pois nenhum de nós teve a idéia ou colocou a cara a tapa por estar se colocando em mundo novo como o mesmo fez.

  • Sérgio Rodrigues 27/05/2006 at 15:51

    Rafael e Kleber: até onde sei, a história não registra de quem Groucho Marx estava falando.
    Abraços.

  • O menos Instruído 27/05/2006 at 15:52

    BATENDO NA MESMA TECLA

    E NÓS? NADA…
    TRANSCREVO AQUI ESTE TEXTO RETIRADO DO JORNAL “TRIBUNA DA IMPRENSA”:
    “O programa observatório da imprensa, dirigido por Alberto Dines na Tve, abordou uma característica de grande parte da mídia brasileira de hoje – “celebrizar” pessoas medíocres, inexpressivas, sem nenhum mérito.
    Jornais, revistas, rádio e Tv enaltecem, promovem e tornam famosas pessoas que nada, absolutamente nada fizeram de relevante na vida, em nenhum ramo de atividade.
    Esses tipos sem qualquer mérito, mas subitamente guindados à fama, são as chamadas “celebridades descartáveis”, políticos carreirista, socialites (emergentes ou veteranas), dançarinas de rebolado, atores (globais ou não) canastras, pagodeiros que mal sabem falar, autoridades ansiosas por promoção, e outros zeros à esquerda.
    Hoje, essa gente tem seu momento de fama, amanhã, será descartada pela própria mídia. Dines tem a sua explicação para essa maciça promoção de gente sem mérito. Ele diz que a mídia promove esses medíocres simplesmente porque NÃO HAVERIA GENTE DE MÉRITO PARA FOCALIZAR. Afirma ele que, se o BRASIL PRODUZISSE BONS ESCRITORES, CIENTISTAS DE GRANDE VALOR, ÓTIMOS ARTISTAS, PENSADORES dignos de atenção a mídia se ocuparia deles, focalizaria suas realizações e os transformaria em celebridades. Mas como o país NÃO TEM GRANDES VALORES EM NENHUMA ÁREA DE ATIVIDADE, a mídia é obrigada a ocupar-se de tipos de segunda, de terceira, de nenhuma categoria.”

    Em 1995 um jornal de S. Paulo publicou uma matéria onde dizia que um jornal ou revista americana comentou que o brasileiro se conformava com pouco. Citou como exemplo um lutador de Recife chamado Todo Duro que era ídolo no Brasil.
    Indo por aí e pelo que o Alberto Dines expôs acho que por falta de pessoas altamente criativas na literatura, na música, na ciência… ficam a endeusar Paulo Coelho, Caetano, Elsimar Coutinho (dizem que trabalha para a Fundação Rockfeller).

    Provavelmente um dos ditados mais bem inventado é o que diz: “O que seria dos sabidos se não fossem os bestas”.
    Acho que cada povo tem o governo que merece,
    Cada povo tem a música que merece,
    Cada povo tem a imprensa que merece
    E por aí vai…

    Aí algumas celebridades tupiniquins que estão se dando bem à custa dos brasileiros de pouca instrução e muitos leitores de Paulo Coelho.

    PAULO COELHO: Partindo do princípio, todo país tem seus charlatões que dão certo e ficam ricos, os ditos Gurus. Lembram que o Fantástico andou mostrando matérias sobre um cientista que dava uma bolada em dinheiro a quem provasse algum tipo de paranormalidade? (foi isto? É que eu não sou de acompanhar domingo a domingo o Fantástico). O nosso Guru tupiniquim, o lá do Rio G. do Sul (que já foi guru ou ainda é, das exóticas Baby do Brasil, Rita Lee, provavelmente da Elba Ramalho) andou dando entrevistas dizendo que ia aos EUA desafiar o cientista cético e blá, blá, blá. Ele foi lá mostrar seus poderes paranormais? É aí que se pega os charlatões. Mas ele não tem poderes? Porque não ganhou estes milhares de dólares? Engana-me que eu gosto. O guru indiano Mabarishi tentou dar um golpe nos Beatles, só que o John Lennon descobriu a tempo a farsa do esperto e voltaram para a Inglaterra. O nosso Paulo Coelho, outro Guru tupiniquim, diz que faz chover e ventar. Disseram-me que certa vez a Bruna Lombardi entrevistou-o e pediu para o mesmo fazer chover e ventar e o dito cujo falou que aquele momento e lugar não eram propícios. Paulo Coelho é tido como Gênio por muitos (em terra de cego quem tem um olho só é rei). Escreve coisas lindas no Jornal O Globo aos domingos e diariamente no Extra que pertence aos Marinhos. No Extra ele fala coisas tipo: bondade, sabedoria, o mestre falou pro discípulo… grandeza da alma humana, os sábios orientais etc. (Quem lê sabe do que estou falando). Pois bem, a Veja cita Paulo Coelho como um dos que contribui com instituições de caridade (ele tem a sua). Como meus neurônios não são atrofiados e funcionam razoavelmente bem eles me alertaram para o seguinte: Se o Paulo Coelho é tão humanitário e dá lições de moral no que escreve porque no dia que o Zé Ramalho lhe pediu para ser recebido pelo mesmo para lhe pedir autorização para incluir em seu CD algumas músicas de autoria dele com o Raul Seixas o mesmo além de não lhe receber nem uma resposta por escrito lhe mandou? (Zé Ramalho fez um CD em homenagem ao Raul Seixas, gravando suas músicas). Que arrogância do Mago que faz chover e ventar. O Zé Ramalho ficou muito magoado. – Acho que o Paulo Coelho só entrou na ABL porque trabalha para o Grupo Globo. Deve ter tido muito lobby. Existe um livro que fala das “contribuições” do Dr. Roberto para esta instituição. É o poder da influência.
    Ah, só mais uma, a Dina Sfat (foi atriz de novelas e cinema) já doente foi a um Guru e o mesmo lhe falou que a mesma ainda viveria muito. Uma semana depois a mesma faleceu.

    CHICO XAVIER: Partindo do princípio, quando são citadas as grandes personalidades que contribuíram em alguma coisa para benefício ou não da humanidade os historiadores mais sérios e respeitados nunca citaram Alan Kardec, Nostradamus… O Kardec era Francês, mas o espiritismo predomina mais na América latina. Porque será? O latino é um povo mais carente e mais fácil de acreditar em dogmas impostos por espertalhões? Será!!!? Bom, lá pelos anos 70 o filho do Roberto Carlos estava com um problema sério de visão. Aliou-se a Chico Xavier e como num passe de mágica acharam que o Chico tinha curado o garoto. Daí nasceu aquela big amizade entre o rei da música e o rei do curandeirismo e haja os dois juntos serem capas de revistas nacionais. Pois é, anos passados vi, acho que na Tv., comentário sobre o problema do filho do R. Carlos. Garanto a vocês que depois desta “cura” milagrosa do Chico o rei já gastou rios de dinheiro com um especialista americano. (quem cura doença é a medicina). Também nos anos 70 o Chico andou dizendo que recebeu uma comunicação psicografada através do espírito do escritor Humberto de Campos (“Irmão x”) em que a atriz Marilyn Monroe declara ter sido vítima de um acidente. Dizendo ele que recebe comunicações do tal escritor Humberto de Campos (“Irmão x”) desde 1944. Veja o que diz a revista da época: “Humberto de Campos (ou “Irmão X”) aproximou-se de Marilyn e se apresentou como “um amigo do Brasil”. Satisfeita pela oportunidade de “falar” com alguém, o que se supõe seja o espírito da atriz, começa a contar o que realmente havia acontecido. Eu pergunto: Será que alguém levou este depoimento do Chico a sério? Só o cara sendo doido. Aquelas filas quilométricas em Uberaba a procura da cura fácil, orientação espiritual, consolo, etc. Coisas de país de povo carente de tudo: dinheiro, comida, cultura, povo sem esperança… alguém saiu de lá curada de uma doença crônica? Acho que sim, a mesma cura que teve o filho do Roberto Carlos. O mesmo está cego, não surtiu o efeito milagroso do famoso médium. Este mesmo médium segundo o Jornal Extra do Rio de Janeiro, foi flagrado certa vez por um repórter da revista Manchete numa instituição de caridade com esponjas perfumadas nas axilas. Daí me lembrei de um colega de trabalho que me comentou certa vez que o Divaldo Franco (principal espírita da Bahia) quando ia a algum lugar visitar os leprosos, exalava perfume do seu corpo. Por achar meu colega um cara sério e não andar com mentiras, suas palavras me deixou encucado. Depois que li a matéria do Extra eu matei a charada. Este meu colega caiu no truque da esponja perfumada. Li que o Chico antes de morrer (dizem que reencarnou) deu um código a duas ou três pessoas de sua confiança para posteriormente (depois de morto, digo, reencarnado) se comunicar com os mesmos.
    “Fazer o bem para o próximo é resolver o problema do próximo e não enganar o próximo.” Frase minha.

    PADRE MARCELO: Enquanto ele anda de Limusine (me disseram e eu acredito) os pobres vão assistir suas missas de Buzu (ônibus coletivo). Você enche barriga de fé? Qual o lucro tanto financeiro como espiritual eu terei vendo um padre pop star ficar pulando de batina e berrando, (Erguei as mãos, Erguei as mãos e dai glória a Deus. – Erguei as mãos e dai glória a Deus. – Erguei as mãos e cantai como os filhos do Senhor. – Os animaizinhos subiram de dois em dois. – Os animaizinhos subiram de dois em dois. – elefante e os passarinhos como os filhos do Senhor.).
    O povão pobre de dinheiro e cultura entrando em transe e alucinado. Cruz credo. E ele deve ser contratado da Globo, todo domingo bem cedinho o chato ta lá com sua missa chata. Aquela voz mansa, piedosa… Segundo, uma revista, ele certa vez teve no SBT e exigiu que tirassem a Vera Verão dos estúdios, pois o mesmo era homossexual. Ora, ora, logo um padre preconceituoso? Mas na igreja Católica não tem muito disto? Dizem que foi daí que a Vera Verão entrou em depressão e como já era cardíaco…

    ZILDA ARNS DA PASTORAL DA CRIANÇA:
    Sinônimo de assistencialismo.

    SARNEY: (Odeio). Existem pessoas que vem ao mundo para ajudar outras pessoas dando a estas mesmas pessoas algo para levá-las a ter uma vida mais digna e confortável. Também existem pessoas que vem ao mundo para, em vez de dar, só tiram, de outras pessoas. Este senhor faz parte da segunda citação. Enquanto o Maranhão tem os índices sociais abaixo de outros estados (o povo na pobreza extrema) a família Sarney nada em poder e dinheiro. Este senhor não merece respeito do povo. Fez parte do governo ditatorial e como presidente do Brasil mandou o Sr. Roberto Marinho escolher o ministro da Fazenda.

    EDIR MACEDO: Existem pessoas que vem ao mundo para ajudar outras pessoas dando a estas mesmas pessoas algo para levá-las a ter uma vida mais digna e confortável. Também existem pessoas que vem ao mundo para, em vez de dar, só tiram, de outras pessoas. Este senhor de nome Edir Macedo chega a ser pior do que o Sarney. Este toma até a roupa do corpo dos incautos.

    BORIS CASOY: Aquele bordão do “isto é uma vergonha” não me convence. Quando um homem deste senta-se com o patrão o mesmo lhe dá o contrato milionário para o mesmo assinar e lhe mostra suas limitações. É-lhe mostrado o que deve e o que não deve ser dito na Tv. Certa vez o Boris Casoy (O do bordão que só engana os bobos) mostrou uma matéria sobre um determinado hospital público de Salvador. Fila enorme, falta de médicos e desrespeito com os doentes. Boris fez seu comentário crítico, mas não cita o nome de político algum, critica sem citar nome e usa a palavra governante sem criticar diretamente o governador do estado. Sabe quem era o governador da Bahia? Ou o próprio ACM ou alguém colocado por ele.
    Eu gostaria de ouvir o Boris falar o seguinte: -Olha, este descaso com a saúde é justamente no estado governado pelo Sr. Antonio Carlos Magalhães que anda dizendo que seu estado é um eldorado. Isto é uma vergonha Sr. ACM!
    Ah Boris! Você não tem peito para fazer uma crítica dura ao ACM. Precisa ter muita coragem. Você e a Hebe só criticam diretamente políticos de pouca expressão nacional que já estejam no fundo do poço ou políticos democráticos como o Lula, o Waldir Pires e mais alguns que não são agressivos, vingativos e poderosos.

    HEBE CAMARGO: Como neste país muita gente é tachada de bonzinho, santinho, maioral… Hebe Camargo é citada pela Veja como uma das pessoas que ajudam instituições de caridade. A mesma curte a alta Sociedade Paulistana, andou até na festa (Não seria Farra no Planalto? E foi com dinheiro público) da LBA na época da 1ª dama Roseane Collor, é amicíssima do Paulo Maluf, fez algumas críticas ao Inocêncio de Oliveira (este político já estava escachado pela Veja), o SBT chamava a Hebe de “A defensora do povo”. Hebe Camargo ta lá preocupada com pobre!!! E lá vem a Veja falar que são pessoas como Hebe que engrandecem o Brasil. Engana-me que eu gosto.

    ROMÁRIO: Romário sabe jogar bola, mas é um cara altamente arrogante e agressivo. (lembram da covardia contra o torcedor?) Acredito que seus empresários aconselharam o mesmo fundar uma creche e lá colocar alguns meninos de rua. Meses passados vi no O Globo reportagem onde o Romário vai a sua creche de Mercedes visitar os Romarinhos. Com isto ele fica bem visto pela sociedade. Futuramente esta creche deverá receber verba do governo (nosso dinheiro). Porque falei que o Romário é arrogante: Dias depois do mesmo se consagrar como Campeão do Mundo na de Copa de 94, numa entrevista coletiva uma repórter da Tv. Manchete lhe fez uma pergunta que lhe desagradou. Ele lhe respondeu + ou – assim: Quem é você para me questionar? O que você já fez pelo Brasil? Ora, esta repórter deve ter sentado durante 4, 5 ou mais anos num banco de faculdade e um dia ter que ouvir desaforo de um chutador de bola é duro!

    CAETANO: Até que gosto de algumas músicas deste “gênio” da MPB. O que me dói é vê-lo cantar clássicos da música americana. Disseram-me (Deus faça com que eu nunca ouça) que ele canta Billy Jean do Michael Jackson. Este senhor é tiradão. Briga com qualquer jornalista que venha a lhe fazer qualquer tipo de crítica. Dizem que o mesmo faz parte da máfia do dendê. Ele e o Gil é que ditam quem faz e quem não faz sucesso na Bahia. Ver Caros Amigos. Nunca me convenceu, nem como rebelde, nem como contestador, nem como anistiado, nem como gênio etc. A única coisa que ele me convenceu foi ouvir ele cantar “alegria, alegria” lá pelos anos 60, e que gosto muito.

    JOÃO HAVELANGE: Até que eu gostava deste senhor. Como me esquecer o que ele já fez pelo futebol brasileiro?
    Fiquei chateado com ele na Copa de 1994 quando o mesmo tirou o jogador Maradona do Campeonato.

    KLB: Estas injúrias que chamam de KLB são aqueles que andam cantando versões de músicas estrangeiras e ainda conseguem enganar adolescentes sem juízo. Ouvi uma adolescente contando à minha filha que quando estes músicos de versões das músicas estrangeiras estiveram se apresentando em Salvador uma garota invadiu o local do acesso ao camarim deste trio enganador e um deles falou: Esta menina chata novamente?

    XUXA: Ela lhe dá o circo, mas não lhe dá o pão. Quantas crianças paupérrimas estão diante de uma TV vendo o programa da Xuxa (que não passa de um circo), de barriga vazia ou mal alimentada? A filha do Sílvio Santos falou que sua filha não assiste a Xuxa por não ter nada de cultural. A Xuxa cresceu dentro de uma estrutura de marketing super poderosa. Na década de 90 a Xuxa (como é boa de marketing! Claro, questão de país e povo) andou dando chiliques diante da mídia tupiniquim onde dizia que estava tão decepcionada com a situação das criancinhas do Brasil (chegou até chorar lágrimas de crocodilo) e que, se os governantes não tomassem providências ela se retiraria da Tv. Claro, isto emociona o povo mal informado. E não é que dias depois a Xuxa senta-se a mesa com o todo poderoso Boni e assina novo contrato com a poderosa para felicidade de seus súditos! Estava dado o golpe em cima do povão. De em pele em pele alguns ídolos vão conseguindo prolongar um pouco mais o seu sonho de imortalidade, e parece que o ponto final comum da carreira dos ídolos nacionais são as causas sociais. (Tudo a ver com criança esperança). Caso espantoso de reciclagem é o de Xuxa. Quando a modelo sexy, que ficou famosa tirando a roupa em revistas masculinas e filmes eróticos (inclusive tendo crianças por parceiros!), se viu ameaçada de cair no esquecimento, alguém advertiu que ela poderia sobreviver animando programas infantis! E depois de ter enriquecido causando danos ao sistema nervoso de toda uma geração de crianças, ela aparece como garota-propaganda de campanhas em prol dos menores abandonados e da saúde infantil. Será que o povão mal informado do Brasil sabe que a Xuxa chegou a fazer um programa nos EUA, mas não foi em frente devida sua carência de pedagogia? Ah!!! Isto eles não sabem… mas se a mesma mandar os baixinhos filhos do povão doar brinquedinhos pra Sashinha aí o povão todo vai saber. Meu povo! Xuxa adora crianças, ela adora Sasha, seus sobrinhas, filhos e filhas de seus amigos… e ela gosta dos filhos do povão? Quem sabe!!!? Existe alguma criança ou adolescente neste país que cresceu com algum tipo de ajuda da Xuxa? Duvido. Ah, mas fulano era menino de rua e saiu da creche da Xuxa e hoje tem um emprego. Multiplique x 10 e o resultado é o ganho da Xuxa à custa de um benefício feito pela mesma.

    ANA MARIA BRAGA: Lembram quando o Figueiredo falou que preferia o cheiro de cavalos a cheiro de povo? Quando esta injúria adoeceu, o povão pobre deste país fez vigília e orações em frente ao hospital. Hoje ela vira a cara para este povo. Garanto a vocês que ela considera este mesmo povo gente de 2ª classe. No casamento do Huke com a Angélica ela ao chegar de carrão a classe plebéia correu para cima de seu carro para pedir autógrafo à mesma, o que ela fez? Simplesmente suspendeu o vidro do carro e nada de dar atenção ao povão. Ora, madame Ana Maria Braga toda perfumada, cheirosa, vestida de Valentino vai querer contato com povo pobre?

    SANDY: Lembram quando o Figueiredo falou que preferia o cheiro de cavalos a cheiro de povo? A Sandy falou que detesta quando está em um baile de alguma amiga e alguém que esteja tomando cerveja ou fumando toque nela. Se ela está em um baile com amigas, provavelmente são as patricinhas ricas com seus perfumes franceses, mas a Sandy quer distância das que bebem ou fumam. Imaginem Sandy querer ser tocada por crianças e adolescentes da periferia que ficam de uma a 2 horas dentro de um ônibus, às vezes lotado, até chegar ao local do show já suadas e sem o cheiro de seu perfume barato. Uma adolescente suada tocar na deusa da música, nem pensar. Bom, mas tem que mostrar perante os holofotes uma Sandy sorridente que abraça e beija crianças. Bom, então arma-se o circo pegando 4 ou 5 crianças chama o cinegrafista da Tv. Globo e filma a cena dos beijos e risos falsos. Oh! Se este povo entendesse estas coisas.

    JORGE AMADO: Foi comunista de carteirinha, quando deputado constituinte lá pelos idos de 1948 foi expulso por ser comunista. Nos últimos anos em vida mandou esquecerem seu livro que exaltava o comunismo. Na primeira eleição entre FHC e Lula apoiou o FHC (até aí tudo bem, normal) e falou que não apoiaria um candidato arcaico. Andava dizendo que era um homem pobre. Pobre anda a todo o momento na França, Portugal e demais países da Europa? Pobre quando adoece vai para o melhor hospital de Salvador? Aliás, estava eu numa banca de revistas e lá num jornal dizia que o Jorge Amado tinha se internado no Hospital Aliança. Um senhor ao meu lado falou: Tá vendo? Quem tá pagando as despesas do hospital é o estado. Terá sido? Quem passa defronte a sua residência não enxerga sua casa por ter um muro muito alto que o cerca e é em bairro nobre. Mas quem morou lá foi um pobre! Ô coitado!!! Quando o governo federal interveio e fechou o Banco Econômico o ACM iniciou briga com o governo e como se dizia que ele tinha conta neste banco o mesmo se dirigiu para frente da matriz do banco para protestar e lá também foi o Jorge Amado. Ele se dizia amigo do ACM. Claro, aqui em Salvador tem: Casa Jorge Amado, Teatro Jorge Amado e mais ruas e outros tipos de homenagens. Isto tudo em vida. Então! ACM manda na Bahia, se o escritor se indispuser com o ACM continuará existindo estas homenagens? Se o Jorge Amado fizesse qualquer tipo de crítica ao Sistema Globo ninguém veria sua Gabriela Cravo e Canela nas telas pequenas. Aliás, nas eleições para a prefeitura de Salvador ele sempre apoiava abertamente o candidato da direita que era o candidato do ACM. Aí alguém me pergunta: Mas não é o direito dele escolher quem ele quiser? Eu diria: Pois é, já não se fazem mais comunistas como antigamente. Um comunista apoiando a direita. Acho que o Jorge em vida foi um bom escritor, mas um fraco na luta em defesa de melhores condições sociais para os mais necessitados deste país. Não seguiu o exemplo de um Sartre que nunca apoiou os poderosos do poder. E olhe que Sartre era mundialmente famoso, fazia a diferença nos meios literários, recusou Premio Nobel e fazia com que respeitassem seus princípios, pois foi um homem de atitude até sua morte.

    FHC: Este senhor foi presidente do Brasil. Marcou o governo com as Privatizações (doações) das estatais. De social só suas bolsas escola, bolsa família e outras esmolas. Gabava-se do sucesso do seu plano real. Gabava-se do baixo preço do frango Avipal. Gabava-se e alardeou por todo o Brasil que colocou 97% das crianças na sala de aula (tremendo demagogo, é como dizem, presidente de uma republiqueta), pois destes 97% só uns 11% vão concluir o 3º grau. Incrível mas no Brasil quando a pessoa aprende a escrever e ler um bilhete já é considerado alfabetizado. Entes números vão para Unesco que também aceita e daí o DEMAGOGO FHC espalha que no governo dele houve avanço na educação e baixou o número de analfabetos. Como diz o jornalista Hélio Fernando da Tribuna da Imprensa: Que república! E olhe que muitas crianças vão até a escola por causa da merenda que é doada. O povo quer emprego para poder ter direito a escolher a merenda do filho.
    Pudera! Educar o povo e lhes ensinar a pensar? Nem pensar, é como se eles dessem uma arma ao povo que usaria contra eles.
    Em 2004 o ACM deu uma entrevista à segunda edição de Carta Capital, dizendo: “O FHC NÃO É DE ESQUERDA COISA NENHUMA. BESTEIRA. IMAGINA, ELE É DOS NOSSOS”. Naquele ano ainda não tinha acontecido eleição. A entrevista foi no fim de agosto ou começo de setembro de 94. A eleição se deu em outubro.
    Segundo o Hélio Fernandes da Tribuna da Imprensa o FHC quando viveu fora do país sua estadia foi financiado pela Ford. Como a Ford é boazinha. Ficou com peninha do fernandinho. Brincadeira à parte nós pagamos muito caro por esta conta da Ford em pro do anistiado Sociólogo.
    Um americano lançou um livro com o título: A MELHOR DEMOCRACIA QUE O DINHEIRO PODE COMPRAR. “Greg Palast, o maior jornalista investigativo do mundo, vira pelo avesso as tramóias e conspirações que levam ao saque globalizado-com ênfase nas privatizações brasileiras. (Tudo está a venda, principalmente governos. Bastam definir o preço e impor as condições por meio da força, da grana e da fraude).
    “Quando era menino, o secretário do Tesouro dos EUA, Robert Rubin, sonhava em ser presidente do Brasil. Em 1999 seu sonho se realizou. É claro que, como tem endereço em Washington e nacionalidade americana, Rubin conquistou o controle do país da única maneira que podia – através de um golpe brilhante.”
    Neste livro é dedicado um capítulo ao Brasil. Conta as falcatruas feito por FHC e Cia para ser reeleito e chama o mesmo de presidente nominal (governa só no nome). Mostra também como o Brasil foi governado de fora para dentro.
    Diz o livro: “O processo de “reformas” impostos por credores externos não se limita à tomada de bens de estatais. O Brazilian Council da Grã-Bretanha promoveu uma reunião em Londres, em novembro de 1998, sobre os serviços públicos do Brasil. O Plano Mestre do Banco Mundial propõe cinco aperfeiçoamentos para esse país que tem o menor compromisso com a educação e outros serviços públicos do hemisfério. Diz o documento: Reduzir salário e benefícios a) Cortar pensões b) Aumentar as horas de trabalho c) Reduzir a estabilidade no emprego e o emprego.”
    “Mas a recompensa, a linha de crédito de 42 bilhões de dólares, não vai, em última instância, pingar sobre as pessoas pobres nos barracos? Não diz Ildo Sauer…..” Dêem uma olhadinha no livro.

    AYRTON SENNA: Ayrton Senna vivia no 1º mundo (Mônaco, Paris, Londres…), andava de jety sky, Angra do Reis, pilotou avião a jato, se não me falha a memória até subiu a rampa do Planalto com o Collor. Resumindo, vivia como um Marajá no bem bom, em vida nunca visitou uma favela pra tapear o povo como muitos fazem. Ayrton Senna morre e vira mártir. O mesmo morre em Maio e sua instituição foi criada em novembro do mesmo ano. Porque não foi criada quando ele estava vivo? Acho que querem manter a imagem do rapaz a qualquer custo. Li na Folha de S. Paulo reportagem mostrando o que fazem pessoas como Pelé e Ayrton Senna fazem para manter-se em evidência. Diz que as celebridades quando caem no ostracismo fazem de tudo para reerguerem. Cita o Pelé quando andou meio fora da mídia e daí aparece fazendo críticas ao governo de FHC (O mesmo tinha sido seu ministro). Não assisti, mas me disseram que no programa Cartão Verde da Cultura o Juca Kfoury e um cara de sobrenome Prado comentaram que o Senna não aceitava críticas e que o mesmo telefonava para as redações de jornais e TV’S reclamando e até pedindo punição para determinado jornalista que o havia lhe criticado. TRANSCRITO DE UMA REVISTA: “Senna também vestiu a túnica da preocupação com os problemas sociais. Após o trágico acidente que o arrancou desta existência, sua fortuna foi usada para fundar uma entidade filantrópica direcionada a crianças carentes. Com certeza teria contribuído muito mais para a edificação das crianças se não tivesse se tornado famoso através de um esporte violento, estimulador da competição e de todo tipo de excessos e temeridades, que já fez inúmeras vítimas além dele mesmo. Aliás, é um desrespeito às crianças carentes do Brasil que se tenha gasto tanto dinheiro subsidiando a carreira automobilística de Senna. E o desrespeito fica mais evidente ainda quando se descobre que a instituição financeira que subsidiava Senna é uma daquelas que o governo tentou salvar da falência utilizando dinheiro público”. Já tinha lido que a instituição Ayrton Senna já vai receber verba do governo (nosso dinheiro). Será que nos EUA o governo destina verba para manter a imagem do Elvis Presley? Acho que não, só o correio fez alguns selos para homenageá-lo. A TV Globo emocionou o povo com a balela de 10 anos sem Ayrton Senna. Êta povo emotivo!!! Ficam chorando e pronunciando coisas tipo: Ele era tão bom!!!

    Não esqueçam jamais: EM TERRA DE CEGO QUEM TEM UM SÓ OLHO É REI.

  • Fábio 27/05/2006 at 16:01

    Bom, um povo que se orgulha de ter um PC e nunca viu um tal Autran Dourado…

  • vilasboas 27/05/2006 at 16:45

    O fato é que ELE, o PC, é um sucesso, no mundo. Isso, ninguém poderá tirar-lhe. Seu mérito está em ser discreto, fala doce, um senhor manso. Pode satisfazer seu gosto refinado e diferente demonstrado ao fazer este programa, uma viagem incrível! Gosto de seu jeito meio bruxo, meio homem, onde pode-se vislumbrar a ansiedade, a inquietude por um mundo melhor. Isso, sem excluir todos os outros.
    “Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um verso: Se iludindo menos e vivendo mais!” (CDA)

  • Rafael Rodrigues 27/05/2006 at 17:25

    Em terra de cego quem tem um olho é caolho e ainda pode pegar uma catarata.

  • sonho bom 27/05/2006 at 17:43

    ” Eu nascí há dez mil anos atrás…” Quem ainda se lembra que Paulo Coelho foi parceiro de Raul Seixas?

  • Daniel Dourado 27/05/2006 at 20:03

    Deixei de lê as coisas do PC… quando lançou “Na margem do Rio Piedra eu sentei e chorei”… dali para adiante é sempre a mesma mesmice… nada edificante…
    Agora como livro de auto ajuda (espiritual) parece-me um pouquinho melhor do que muita porcaria que todos os dias as editoras lança no mercado. Compra e lê, é quem gosta de literatura simplória.

  • sergio 27/05/2006 at 20:41

    tem gente que não tem criatividade para elogiar, apenas para criticar, criticar é o mais fácil que existe, garanto que alguém vai criticar este comentário, temos de elogiar aqueles que vencem , e dependendo até aqueles que perdem.

  • Zé Bush 27/05/2006 at 20:52

    well,brothers and sisters…Paulo Coelho é o Sidney Sheldon do esoterismo.Vende uma imagem de mago “misterioso” e esconde ‘segredos” inalcançaveis e místicos.
    É apenas um vidente de quermesse que escreve para um público ávido por auto-ajuda e auto-piedade.
    Besteirol místico de primeiríssima qualidade.
    Vende muito, tá famoso e desempenha uma estratégia de marketing agressiva. Agora o rapaz deu para fazer “peregrinações”, vejam só….
    Vender muito nunca foi sinõnimo de qualidade, pois sua “obra” não transmite nada de novo, apenas “experiências” e “ensinamentos” bobocas, dignos do Almanaque do Biotônico.
    É um charlatão que deu certo,só isso.

  • Luiz Alberto 28/05/2006 at 01:29

    Zé, como diria um personagem da época áurea, do Jô Soares…tirou daqui, ó!
    Nunca consegui acabar a 1ª página de qualquer livro do PC, a única coisa que tenho capacidade de ler e preferêncialmente, em ouvir são as músicas em parceria co o Raul Seixas… e, só.

  • Peter Blake 28/05/2006 at 13:46

    Parabens Sérgio, conseguiu trazer até OMI e sua mensagem de volta para o Blog. Fico pensando como é OMI ao vivo. Será monomaníaco também na conversa?

    E pelo visto ninguem iria se interessar pelo livro-reportagem do Tutty sobre a viagem trans-siberiana do Paulo Coelho. Pena…

  • Shirlei Horta 28/05/2006 at 19:43

    Injuriado, leve minhas palavras, comentários, faça suas façavor, qué levá mais nada, não? Hein? Só pedir!
    Ô Peter Blake , muito me admira! Tá sugerindo uma trans-siberiana pro Tutty e nada de me levar?? Mas não se pode mais confiar nos amigos, hein??
    Mônica Gomes, li vários livros do PC, não faço o gênero “não li e não gostei”. Aliás, morro de vergonha de vir aqui, porque toda hora eu digo: “ah, esse eu não li”, “hei, que livro é esse?”, o que me torna uma ignorante esforçada, pelo menos. (acho)

  • Injuriado 29/05/2006 at 01:23

    aaa… bom… na verdade não sei sei se vc gostou ou não Shirlei… me pareceu que não…
    Ao “O menos Instruído”: falou muito e disse tudo!!! clap clap clap!!

  • Bruxa Podre 29/05/2006 at 09:00

    Sei lá, tentei ler, mas eu acho chato.
    Muito mal acostumada com Machado, Rubem Braga e Poe…
    Como gostar de Paulo Coelho depois de ler Rubem Braga…?
    Parabéns a ele, pois, na verdade, cada um tem exatamente o que merece e a realidade que cria…

  • Shirlei Horta 30/05/2006 at 10:19

    Injuriado, eu (te) adorei. O texto de O Menos Instruído (OMI) eu e a torcida do flamengo e do São Paulo já conhecemos. Daqui a pouco vou recitar de cor.

    Ô Bruxa Podre, dá uma carona na vassoura, dá? Eu adoro voar. E viajar, viu, Peter Blake!

  • Umberto 30/05/2006 at 13:23

    Não há como negar: o PC é unanimidade internacional. Mas não significa que todo mundo pode (ou deve) gostar da sua literatura. Eu não gosto e não consigo ir além das primeiras páginas do que escreve. Talvez porque não me diga nada, não fale ao meu coração. Prefiro mais um Og Mandino, um Deepa Chopra, um Albert Camus, um Érico Verissimo, um bom policial bem escrito, que se não me leva ao sétimo céu, pelo menos não me engana com colocações colhidas da sabedoria universal, transplantada para suas histórias, cujo o único objetivo é, inclusive, ganhar direito, manter o prestígio e não cair do seu pedestal. A priori não me parece uma pessoa simpática, mas isso é uma outra história.

  • Umberto 30/05/2006 at 13:26

    Faço aqui umas correções do meu comentário: onde se lê “…inclusive, ganhar direito”, leia-se “ganhar dinheiro”. O resto, mantenha-se.

  • Umberto 30/05/2006 at 13:29

    Apenas para dar um desfecho, e aqui não vai nenhum sentimento negativo, ao contrário, concordo com a Shirlei quando diz que ele dá o que os leitores querem, é que também na literatura chegamos áquele estágio galático que também atingiu, de frente, de forma inapelável, aos profissionais de futebol que, até outro dia, era uma forma de sacerdócio feita por heróis que tinham uma vida meteórica e não ganham tanto, contrapondo-se aos que hoje voam para o exterior na busca (diria insaciável) por sucesso, fama, fortuna, prestígio e, salvaguardando algumas exceções, descuidando-se do seu conteúdo pessoal, no que abrange cultura, cidadania, atitude diante do mundo – este cada vez mais sedento por construir e destruir ídolos. Essa, também, é uma outra história…

  • Umberto 30/05/2006 at 13:41

    Os tais sacerdotes da arte – vide Garrincha, Leônidas, Zizinho, Domingos da Guia, Julinho, Vavá, e Cia – se tanto vivem da alegria do passado, e os que morreram foram-se, muitos, no mais completo e absoluto miserê. São mote para trabalhos riquissimos, mas viveram seus últimos dias na pindaíba. A glória recái, hoje, sobre os malabarismos, a mídia viva e construtora (quando vale a pena construir algo), o marketing, os bons contratos e os dividendos do merchandising. A literatura nacional, e Paulo Coelho é uma expressão viva, sem dúvida alguma, vive de seus pouquissimos celebráveis que conseguem dar volta ao mundo. No seu caso há uma franca determinação de implementar seus sonhos “nesta vida”, e isso com que produza literatura acessível, palatável (no dizer de um dos comentaristas), e que depende exclusivamente da iniciativa de ir à livraria e comprar. Quem gosta, compra; quem não gosta, passa ao largo. Qualquer outro tipo de comentário é mera prosa sem fundamento. Melhor, talvez, calar a boca.

  • tom paixão, bh 01/06/2006 at 18:19

    eu li alguem dizer aqui que:
    Porém os livros que tive oportunidade de ler, me foi de muita ajuda, no mínimo melhorou meu vocabulário…
    aí, eu desisti de comentar, toimei uma vodka e fui ver uma sitcom na tv

  • Helder 15/02/2007 at 23:58

    Cocordo com J. Moutinho, mas a tal viagem de trem com toda aquela estrutura é meio exagerada. Li umas 6 ou 7 obras de Paulo Coelho. Gostei mais da grande aventura do rapaz Santiago em “O Alquimista”. Eu tenho um projeto de um livro que trata de uma grande aventura de um menino de 12 anos de idade.

  • Rosely Fernando 24/03/2008 at 19:43

    Ok.!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial