Retrospectiva: os posts mais lidos de 2013

28/12/2013

Os cinco posts abaixo foram os campeões de audiência do Todoprosa este ano. Boas festas e até 2014!

Atenção, letrados do Brasil: está lá fora um Coelho

Do ponto de vista da sociologia da cultura, a universidade brasileira está mesmo em dívida com Paulo Coelho. No entanto, antes de saldá-la será preciso erradicar o ufanismo que transparece numa afirmação falsa como a de que “o escritor mais lido no mundo é o brasileiro Paulo Coelho”. Sem dúvida um peso-pesado da literatura comercial, Coelho perde, apenas entre autores vivos, para Danielle Steel, J.K. Rowling, Jackie Collins, R.L. Stine, Dean Koontz, Stephen King, John Grisham e outros (leia mais).

‘O retrato de Dorian Gray’: mais jovem do que nunca

A “edição anotada e sem censura” de Dorian Gray não é uma apelação editorial do gênero baú. Por trás da versão eternamente canônica do único romance de Wilde (é tarde para mudar isso), lemos um livro novo, com fôlego de novela, no qual entram em foco os elementos principais da história do elegante e devasso Dorian, cujo retrato envelhece – e se envilece – trancado no sótão enquanto ele próprio se conserva jovem e belo (leia mais).

Muito prazer, poesia de lombada

Spine poetry, ou poesia de lombada, é a arte – pelo menos no sentido travesso da palavra – de empilhar livros de tal forma que os títulos formem um todo inteligível. Com sorte, um poema. Consta que a ideia surgiu em 1993, mas foi só no ano passado que a prática começou a virar febre no mundo anglófono. Eis a minha primeira tentativa de dominar essa, digamos, nova linguagem literária. Cuidado, bibliófilos: a coisa vicia (leia mais).

150 preocupações da ciência sobre o futuro da humanidade

Segundo um grupo de intelectuais de peso, tudo isso torna sombrio o futuro: o provável emburrecimento da espécie; a opinião embutida sem transparência na dimensão “semântica” incorporada pelo Google ao seu mecanismo de busca; o risco de uma hecatombe nuclear representado por sistemas de defesa automatizados; o superávit de testosterona que em breve varrerá a China; a nova onda de fascismo fomentada pela tecnologia; os perigos de conquistar o sonho da imortalidade etc. (leia mais).

O dia em que Pelé desafiou Deus

“A TV é uma velha trambolhuda de tubo de imagem. O lance não deve ter mais de dez segundos, mas com as interrupções de Murilo enche minutos inteiros enquanto ele narra sem pressa, play, pause, rew, play, o que na época foi narrado com assombro.” Leia o primeiro capítulo de “O drible”, romance que lancei em setembro deste ano pela Companhia das Letras (leia mais).

One Comment

  • Dyda Bessana 30/12/2013 at 16:52

    Prezado Sergio, olá.
    Sou mestranda na Cásper Líbero, pesquiso resenhas de livros e gostaria de entrevistá-lo. Tentei contato por telefone, mas não deu certo. Agradeço desde já sua atenção.
    Um abraço.
    Cara Dyda, envie, por favor, mensagem para sobrepalavras@todoprosa.com.br. Um abraço.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial