Trabalho

23/05/2009

O aumento da oferta de emprego no Brasil, embora muito modesto, é uma boa notícia – nada mais óbvio do que afirmar isso. Mas nem sempre a idéia de trabalho esteve associada a algo que se procura com afinco e que faz uma falta tremenda quando não se encontra. A origem desse termo surgido na infância de nossa língua, no século 13, com a grafia traball, é uma boa ilustração de como as palavras, seus sentidos e conotações são construídos historicamente.

Para uma sensibilidade moderna, é chocante descobrir que aquele que “enobrece e dignifica o homem”, como diz o chavão, nasceu do nome em latim medieval para um instrumento de tortura, o tripalium, apresentado pelo filólogo Silveira Bueno como um artefato composto de “três paus aguçados, algumas vezes ainda munidos com pontas de ferro”. As estacas eram cravadas no solo, convergindo para um vértice no alto, e a esse esqueleto se atavam os infelizes para serem castigados ou mortos.

A relação com a tortura começa a fazer sentido quando se leva em conta que, no momento histórico em que a palavra surgiu, o trabalho era uma atividade indigna reservada a subalternos, de preferência servos ou escravos. Mas a ligação pode não ser tão direta. No francês, a primeira acepção de travailler era “torturar, martirizar”, mas dela brotou por metáfora o sentido de submeter alguma coisa (a terra, os grãos, o gado) a uma ação destinada a modificá-la – o que é provavelmente o elo perdido entre o martírio e o trabalho.

Por muito tempo, o tripalium como ancestral de trabalho provocou polêmica entre os etimologistas. A resistência a aceitá-lo – o que fez alguns estudiosos recorrerem a um verbo do gaélico, treab, “lavrar”, para explicar a palavra – parece se relacionar com a valorização moral do trabalho promovida após a chegada da burguesia ao poder.

Publicado na “Revista da Semana”.

5 Comments

  • kylderi 23/05/2009 at 23:25

    Como a religião influencia o mundo! No Velho Testamento, Deus castiga o homem em fazê-lo comer ” o pão com o suor do teu rosto”. No entanto, a visão de trabalho como depreciação foi católica, pois judeus e protestantes históricos (penso eu) valorizam o trabalho e a riqueza.

  • Sergio Simonato 24/05/2009 at 08:39

    Concordo com o amigo acima. Trabalho é castigo, e nada demais associa-lo a tortura. Uma coisa é você ter uma atividade, outra é voce necessitar fazer algo para não morrer de fome, ou para poder obter bens. Ta no Genesis, ta nas piadas da vida: se trabalhar fosse bom não era remunerado.
    O resto é hipocrisia de quem quer explorar os outros: o trabalho dignifica, o trabalho engrandece, etc.

  • Carlos Eduardo 24/05/2009 at 13:26

    Concordo com os comentários acima: trabalho é tortura sim.

  • fábio 24/05/2009 at 14:10

    ………………………………………………………………………………………………………….
    …………………………………………………………………………………………………………
    …………………………………………….Sérgio..?
    …………………………………………………………………………………………………………
    ………………Tento ler teu texto com o máximo de cuidado.
    …………………………………………………………………………………………………………
    ………………….Porém,….quase fico com dor de cabeça.
    ………………………………………………………………………………………………………..
    …………………….Eles são curtos,….isso é muito bom,
    ………………………………………………………………………………………………………..
    …………..pois,..ler na internét é muito cansativo para os olhos.
    ……………………………………………………………………………………………………….
    ………..Porém,…você tem um jeito de escrever……que ….parece
    ……………………………………………………………………………………………………….
    ………………………………….um,….”. BUROCRATA”.
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ………………………………Cara,….é muuuito,….. chato.
    ………………………………………………………………………………………………………..
    …………………….E acaba indo de encontro,….com o “objetivo”
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ………………………………….do nome do teu blóg……..:
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ……………………………………..” Todo Prosa..”
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ………………..A última coisa que sinto quando te leio,…..
    ……………………………………………………………………………………………………….
    ………………………é de ter “PROSA”,… com alguém,…
    ………………………………..pois eu não vejo a hóra
    ………………………………………do texto acabar.
    …………………………………………………………………………………………………………
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ………………….Como você é um escritor,…alguém que vive da
    ……………………………………………..”palavra”,
    ………………………………….eu não sei o que dizer..!?
    …………………………………………………………………………………………………………
    ……………Parece,..que você tem medo,..de ser mais,…..
    ………………………….falante,..ou prolixo,….(não sei se o termo é esse)
    …………………………………………………………………………………………………………
    …………………..e fica sendo muito comedido,….e sem querer,
    ………………………………………acaba,…ficando chato.
    …………………………………………………………………………………………………………
    …………………………………………………………………………………………………………
    …………………………Não leve a mal,..esse coment,…ok,….?
    …………………………………………………………………………………………………………
    ……………É que o asunto leitura e escrita é muito estimulante
    …………………………………………………………………………………………………………
    ……………………………………e eu acabo brochando,
    ………………………………………………..aqui.
    …………………………………………………………………………………………………………
    ………………………………………………………………………………………………………..

  • J. Maroun 20/08/2009 at 11:54

    Ei…Fábio…. o falante acima……”hora” não tem acento!!! Procure ler mais !!!!

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial