Dólar

07/12/2007

Apesar dos gráficos que lhe dão um ar intimidador, o futurismo é uma ciência tão inexata em matéria econômica quanto no futebol. Sim, o dólar pode estar se aproximando do fim de seu ciclo como âncora cambial da economia mundial, mas também pode estar atravessando uma turbulência passageira. Quem sabe? O mergulho na origem da palavra revela pelo menos uma verdade: também do ponto de vista lingüístico, nada é eterno, tudo tem começo e – naturalmente – fim.

Sinônimo universal de dinheiro para várias gerações, moeda mitológica que, sobretudo desde o fim da Segunda Guerra Mundial, está na base das relações de amor e ódio travadas entre o império americano e o restante do mundo, o dólar dos EUA inspirou o batismo da moeda de uma penca de países, da Austrália ao Zimbábue. Diante de tal exuberância, é fácil esquecer que há mais de dois séculos ele nasceu humilde, da costela de outra unidade monetária.

O ancestral mais antigo de dollar é o alemão taler, moeda cunhada com prata das minas da cidade denominada Vale de São Joaquim, na região da Boêmia, a partir do início do século 16. Hoje a cidade fica na República Tcheca e se chama Jáchymov, mas na época era conhecida pelo nome alemão Sankt Joachimsthal, e a moeda cunhada ali, joachimstaler – na forma abreviada, taler. Até hoje a palavra “táler” está viva em nosso idioma, no vocabulário de colecionadores, para designar a velha moeda alemã.

Foi a forma holandesa daler, derivada de taler, que os colonos norte-americanos importaram para, com a grafia dollar, nomear moedas de prata – sobretudo o peso espanhol, de grande circulação naquelas bandas do Novo Mundo. Dois anos depois da independência, em 1785, ao adotarem oficialmente o dólar, de valor inicialmente idêntico ao do peso, os EUA reconheciam de forma realista a importância desta moeda em sua economia.

Publicado na “Revista da Semana”.

4 Comments

  • Luiz Castro 08/12/2007 at 18:19

    Sérgio,
    Como o leitor faz para entrar em contato com você?

  • Sérgio Rodrigues 08/12/2007 at 20:06

    Luiz: pelo email sergio@todoprosa.com.br. Ele aparece se você clicar no meu nome no pé de cada nota.

  • Daniel Brazil 10/12/2007 at 22:02

    Pelo jeito, o dólar está em baixa também por aqui…

  • Antero Colucci 11/12/2007 at 14:11

    Mestre Houaiss registrou em seu dicionário fantástico o vocábulo “táler”, com o significado de antiga moeda alemã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial